Você está aqui
Home > Notas > Metrô-DF compra 205 peças para manutenção de 20 trens da Série 1000

Metrô-DF compra 205 peças para manutenção de 20 trens da Série 1000

Com a compra, a empresa pretende evitar o sucateamento dos trens, fabricados na década de 90. Não há peças novas disponíveis no mercado

 A Companhia do Metropolitano do DF (Metrô-DF) comprou 205 peças sobressalentes (reservas) para os sistemas de tração, freio, acoplamento, entre outros, a serem usadas nos 20 trens da Série 1000 da empresa. A aquisição de peças novas e outras em condições operacionais custou R$ 4.104.206,57 foi feita diretamente ao Metrô de São Paulo, operador metroviário a ter trens similares aos da Série 1000 utilizados pelo Metrô-DF, fabricados pela antiga Mafersa, estatal paulistana, fechada nos anos 1990. A previsão é que a remessa chegue em fevereiro.

Por se tratar de um trem da década de 90, muitas das peças necessárias para sua operação não estão mais disponíveis para a venda no mercado, conforme consulta realizada pelo Metrô-DF. “Além de termos oportunidade de adquirir peças que não são mais fabricadas, proporcionou economia de 80% em relação ao valor atualizado dos preços dos itens. Com as peças, os trens vão continuar a ser operados com segurança”, afirma o presidente do Metrô-DF, Marcelo Dourado.

Além dos novos contratos de manutenção, que permitiram melhoria nos serviços de reparação dos equipamentos, o Metrô-DF tem realizado constantes investimentos em aquisições de peças sobressalentes para os seus sistemas desde 2015, inclusive para os trens da Série 1000, como a compra de banco de baterias, rodas, borrachas de portas, entre outros.

Até 2015, por não haver sobressalentes na Manutenção, as gestões anteriores do Metrô-DF adotavam a prática de reaproveitar peças de um trem fora de operação para utilizá-las nos trens operacionais. Órgãos de controle externo do DF, entre eles, o Tribunal de Contas do DF (TCDF), recomendaram a suspensão da prática.

“Com a compra dessas peças, o Metrô-DF deseja evitar o avanço no sucateamento dos trens. A vida útil de um trem é longa desde que ocorra a adequada manutenção, seja preventiva ou corretiva”, destaca a diretora Técnica do Metrô-DF, Daniela Diniz. Segundo a diretora, essas peças foram inspecionadas por equipe técnica do Metrô-DF nas dependências do Metrô-SP, estando assegurada na contratação que as mesmas foram revisadas e encontram-se em condições operacionais, com garantia de três meses.

Em função do projeto de implantação de novas estações e expansão do sistema, o Metrô-DF solicitou, em 2015, a liberação de recursos do Governo Federal para a compra de 10 novos trens.

Deixe uma resposta

Top