48 HORAS

1
8

A publicação relâmpago de mais de 500 nomes no Diário Oficial do dia 11, convocando todos os expositores da Feira de Artesanato da Torre de TV para um sorteio e transferência em 48 horas, tinha tudo para dar errado. O sorteio dos boxes para a “nova” feira foi um verdadeiro atropelo. A começar pela falta de critérios no tamanho dos boxes distribuídos até votação para avaliar um Termo de Recomendação do Ministério Público do DF.

Até minutos antes do sorteio a Gerencia de Feiras da Coordenadoria das Cidades não sabia que os boxes a serem sorteados possuíam tamanhos diferentes. Se sabia, ignorou. Alegava que “a diferença entre eles era de centímetros”. Mas segundo as plantas da Novacap, que alterou o projeto da feira original, os boxes se dividem em 8, 15, 17, 20 e 22 metros quadrados.

Outra situação inusitada foi quando, minutos antes do sorteio, o Coordenador das Cidades e seus assessores foram surpreendidos por um Termo de Recomendação do Ministério Público “de absterem-se imediatamente de qualquer ato que promovesse a transferência dos artesãos”. Resolveram minimizar a importância da recomendação fazendo uma votação rápida entre os presentes e tocaram o sorteio em frente…

Pessoas que venderam e alugaram espaços na feira foram contemplados com novos boxes e saíram sorrindo com as chaves nas mãos. Invasores, traficantes, irregulares e revendedores de artesanato que invadiram as feira nos últimos 4 anos também foram contemplados. Artesãos legítimos assinaram os termos e não levaram as chaves. Outros que levaram as chaves não conseguiram abrir os boxes. Enfim, uma festa!

JK lançou o plano 50 anos em 5. O GDF fez o plano 4 anos em 2… dias! Conseguiu fazer uma transferência que demorou 4 anos em 48 horas… Nem Jack Bauer, amigo!

Agora quero saber: se a Justiça determinar a reintegração de posse da “nova” feira à Coordenadoria das Cidades e solicitar todas as chaves de volta, como o GDF irá proceder? Será que vai ignorar também e inaugurar a feira, na marra, no dia 21 de abril?

E os que mudarem (e os que já mudaram!) tiverem depois seus espaços cancelados, irão encontrar seus antigos espaços no mesmo lugar, sem invasores ocupando? Depois do que vi hoje, não duvido de mais nada…

Mas fica uma lição: independente do resultado na Justiça, a Coordenadoria das Cidades e a Associação dos Artesãos terão que conversar muito e muito o que conversar daqui para frente.

Alex Moraes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui