Manifestante quebra porta de vidro na Terracap, no DF, e 2 são presos

0
7

Outros prédios públicos também foram ocupados por integrantes da FNL.
Entidade diz que quebra de portas foi reação à ação da Polícia Militar.

Mateus RodriguesDo G1 DF

Duas pessoas ligadas à Frente Nacional de Luta (FNL) foram presas durante ocupação do prédio da Terracap, em Brasília, na manhã desta terça-feira (8). Outros prédios públicos do DF foram ocupados por integrantes do grupo na manhã desta sexta. Vídeo obtido pelo G1 mostra o momento em que um homem que participa da manifestação quebra uma porta de vidro com uma placa de metal.

“Prendemos dois por desacato e dano ao patrimônio. Não prendemos mais por impossibilidade física mesmo”, disse o major Wladimir Cuevas, da Polícia Militar. Segundo eles, os manifestantes usam crianças como “barricada”.

Os integrantes da FNL pedem para ser atendidos em programas de reforma agrária e de moradias e dizem que estão cobrando direitos do governo. “Entramos pacificamente, não quebramos nada. A PM entrou e quebrou as portas para nos retirar. Só depois quebramos as janelas, como uma reação”, afirmou a dirigente Nacional da FNL Petra Magalhães.

Vidros quebrados por manifestante durante ato por moradia na Terracap (Foto: Mateus Rodrigues/G1)Vidros quebrados por manifestante durante ato por moradia na Terracap (Foto: Mateus Rodrigues/G1)

Além da porta de vidro, os manifestantes quebraram outras janelas do edifício, que fica atrás do Palácio do Buriti. A polícia fez um cordão de isolamento na porta do órgão e os manifestantes ficaram do lado de fora do prédio.

Pouco antes, a polícia havia apreendido uma caminhonete com pneus velhos. Segundo a PM, a carga pertencia a um integrante da FNL e poderia ser queimada durante o protesto. O veículo foi apreendido e o motorista, autuado por não apresentar documentação do veículo.

Por volta das 11h, um grupo de representantes da FNL e da Terracap se reuniram para uma conversa na Casa Civil do DF para discutir s reivindicações do grupo.

Carregamento de pneus apreendido pela Polícia Militar durante protesto no DF por moradia (Foto: Mateus Rodrigues/G1)Carregamento de pneus apreendido pela Polícia Militar durante protesto no DF por moradia (Foto: Mateus Rodrigues/G1)

Caso recorrente
Na última quinta-feira (3), integrantes da FNL quebraram vidraças e invadiram o prédio do Ministério das Cidades. O grupo também impediu a entrada de funcionários e disse que só iria deixar o local quando conseguir reunião com o ministro Gilberto Kassab.

Ao G1,o Ministério das Cidades disse que a FNL vai ser incluído no grupo de trabalho que discute habitação rural. Além disso, vai analisar os projetos apresentados pelo movimento e, se os considerar viáveis, deve incluí-los na terceira fase do Minha Casa, Minha Vida.

O manifestante Wandaci Walter de Souza, de 45 anos, diz que ele e mais 1,8 mil famílias estão acampadas entre Santo Antônio do Descoberto (GO) e Samambaia. Ele afirma que as condições de vida são precárias no local.

“No local onde estamos acampados, por exemplo, cada família tem um espaço de cinco hectares. Isso mais ou menos representa 10 mil moradias. O governo precisa nos receber”, disse.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui