Antissemitismo: Alunos desenham suásticas e reproduzem hino Hitlerista contra colega judeu em escola de SP

 

Federação Israelita do Estado de São Paulo está acompanhando o caso

 

Um estudante judeu, de 15 anos, foi vítima de antissemitismo dentro de uma escola bilingue na zona Oeste de São Paulo. Seis colegas do jovem desenharam suásticas na classe, além de reproduzirem o hino da Juventude Hitlerista junto à saudação nazista.

 

Com a repercussão negativa do fato, a instituição de ensino emitiu uma nota aos pais, afirmando que ao tomarem conhecimento de um caso de manifestações de apologia nazista no ambiente escolar, deu início a um processo responsável e cuidadoso de apuração dos fatos e suspendeu os agressores por dois dias.

 

“Não se pode fechar os olhos para fatos como o que ocorreu no colégio. É lamentável que jovens mantenham vivo um preconceito que dizimou milhões de seres humanos. Já passou da hora do mundo agir para que o antissemitismo deixe de existir. Estamos atentos ao caso”, afirma Marcos Knobel, presidente da Federação Israelita do Estado de São Paulo.

 

Knobel conta ainda que denúncias de antissemitismo registradas no Departamento de Segurança Comunitária (DSC) da Fisesp aumentaram consideravelmente.

 

“Atos antissemitas vêm crescendo no Brasil em maior escala desde o ataque do Hamas a Gaza em 7 de outubro de 2023. Outro pico também ocorreu após a polêmica e injusta fala do presidente Lula sobre o Holocausto, em fevereiro. As denúncias registradas abrangem ofensas nas redes sociais, grupos de trabalho no Whatsapp e ocorrências em escolas e universidades”, conclui.

 

Confira a nota da Federação Israelita do Estado de São Paulo sobre o caso:

Nota à imprensa:

 

A Federação Israelita do Estado de São Paulo, tão logo soube das acusações de antissemitismo realizadas por alunos da Beacon School, entrou em contato tanto com os pais do aluno que sofreu os atos, bem como com a direção da escola, que prontamente se colocou à disposição em colaborar.

 

A Beacon School, por intermédio de sua mais alta direção, vai investigar todos os fatos e se comprometeu junto à Fisesp a uma rigorosa apuração e a tomar medidas cabíveis aos alunos infratores, além de ações socioeducativas para sua comunidade de alunos e pais.

 

Não se tolerará que atitudes antissemitas sejam aceitas no âmbito escolar, bem como na sociedade como um todo. Estamos e estaremos sempre vigilantes na defesa de nossa comunidade judaica e agindo pelo bem-estar de todos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui