Ao lado de Bolsonaro e Michelle, senador Izalci Lucas se filia ao PL em noite de festa

Na noite desta quarta-feira (27), o senador Izalci Lucas (PSDB-DF) se filiou ao PL (Partido Liberal) em Brasília. Participaram do evento o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), a ex-primeira dama Michelle Bolsonaro, o presidente da legenda Valdemar Costa Neto e parlamentares da sigla, como a presidente do PL/DF, deputada Bia Kicis.

Na filiação, Izalci disse se considerar “retornando” à legenda. O senador já havia sido filiado ao extinto PR (Partido da República), que originou o PL, e chegou a concorrer em duas eleições pela sigla. Em 2007 assumiu o cargo de deputado federal como suplente. Com a chegada do senador, o PL passa a ter 13 senadores, a 2ª maior bancada no Senado.

Durante seu discurso, Bolsonaro  celebrou a entrada de Izalci no PL e disse que outros nomes “pesos pesados” devem entrar na legenda. Dentre eles, sem mencionar nomes, disse que em breve a sigla deve filiar um governador.

“Pesos pesados do poder executivo também virão, como filiei essa semana, em Rio Branco, Capital do Acre, o prefeito Bocalom. Virá brevemente um governador peso pesado para o nosso partido. São pessoas que se tem um pensamento muito semelhante com o nosso e que tem nas suas cabeças 4 palavras muito importantes: Deus, pátria, família e liberdade”.

O compromisso do PL com Izalci é que ele terá total apoio do partido para se candidatar ao Governo do Distrito Federal em 2026.

Talvez por esse motivo, magoada, a vice-governadora Celina Leão (Progressistas) não compareceu à festa de filiação do senador no PL. A senadora Damares também não deu o ar da graça. Ambas davam como certo o apoio de Bolsonaro, mas pelo que se viu ontem à noite, Izalci é o favorito.

Segundo fontes, historicamente falando, Izalci sempre teve muitos votos, ao contrário de Celina. Outro fator que foi considerado, é o fato de Celina estar no PP enquanto o PL decidiu ter candidaturas próprias em várias partes do Brasil na disputa ao Executivo.

Consequentemente, a prematura pré-candidatura de Celina foi por água abaixo. Sem Bolsonaro, a candidata do Progressistas definitivamente não tem voto.

É preciso lembrar que foi Michelle Bolsonaro a grande responsável pela vitória de Damares Alves na disputa ao Senado, que ajudou eleger, ainda no primeiro turno, o governador Ibaneis Rocha (MDB). Aliás, Ibaneis será candidato a senador, possivelmente ao lado de Michelle (PL).

No xadrez político brasiliense, o senador Izalci Lucas deu um xeque-mate em Celina,  e de quebra, na esquerda, uma vez que o Distrito Federal é cada vez mais de direita. Basta ver o resultado das urnas em 2022 e o governo esquerdista, que está fazendo um estrago na economia do Brasil.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui