Aprovar PPCUB é pauta urgente

0
11

Em entrevista ao Jornal da Comunidade José Messias ressaltou a meta de alcançar a aprovação do Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília em sua administração

  TATIANE ALVES
tsantana@jornaldacomunidade.com.br

Redação Jornal da Comunidade

[credito=Foto: Dênio Simões / Cedoc]José Messias de Souza, um alagoano que vive no Distrito Federal desde 1985. Dono de um currículo invejável, representou a União no Conselho de Administração da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap), assessor especial do ministro da Fazenda, Guido Mantega. Atualmente exerce o cargo de administrador regional de Brasília.
Messias explica que entre as metas que deseja alcançar em sua administração está a aprovação do Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCUB). Trata-se de uma lei que deverá orientar a população e o poder público com diretrizes de uso e ocupação e ações para o resguardo dos princípios fundamentais do plano urbanístico da capital do país, cuja poligonal tombada compreende as regiões administrativas Plano Piloto, Candangolândia, Cruzeiro e Sudoeste/Áreas Octogonais.
Além do PPCUB, o administrador de Brasília espera aprovação do plano de quiosques, ciclovias, implantações de câmeras de segurança em locais estratégicos, que necessitam de maior segurança pública, e as obras relacionadas aos projetos sociais e os de infraestrutura. Melhorar a qualidade de vida das regiões administrativas afastadas do Plano Piloto são algumas das soluções propostas para reduzir problemas. Para ele, é preciso criar uma rede de infraestrutura maior no Entorno para diminuir a quantidade de pessoas que vêm diariamente ao Plano Piloto.

Quais as metas que a administração deseja alcançar ainda este ano?
Aprovar o PPCUB (Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília), o plano de quiosques, implantar as ciclovias, as câmeras de segurança em locais estratégicos, que necessitam de maior segurança pública, e as obras relacionadas aos projetos sociais e os de infraestrutura.
Por falar em metas, existe alguma pauta considerada urgente?
A conclusão do PPCUB deve ser encaminhada nesse semestre para a Câmara Legislativa e isso é uma grande preocupação, pois deverá solucionar muitos problemas. Além disso existe também as obras para a Copa do Mundo e as reformas no parquinho para a comunidade.

Quais os projetos de melhoria para o Parque da Cidade? Algum em execução?
O parque hoje é a “joia” de Brasília. O local passou por um período de muito descaso. Há três processos importantes. Um de infraestrutura, alguns já estão sendo executados, como o recapeamento. O de regularização dos permissionários existentes no parque e a manutenção dos equipamentos públicos. Um exemplo de um plano que já foi executado é a implementação de um posto do Corpo de Bombeiros, e um do Samu, o kit de malhação, o ponto de encontro comunitário. (PEC). Está em trâmite também a regularização do parque. O governador Agnelo Queiroz já regularizou e estamos aguardando o decreto para regulamentar. Já há um grupo de trabalho elaborando o plano diretor do parque para sair daqui uns três meses, que será implementado pelo GDF por demanda da comunidade.

O Parque da Cidade tem um projeto para a construção da nova pista de caminhada. Quando deve sair a licitação?
Já houve a audiência pública, a expectativa é que a obra seja concluída este ano.

Sobre os projetos de revitalização, como estão essas obras? Quais as sugestões e planos para um novo planejamento urbanístico?
Estão a caminho vários projetos de revitalização das praças, a implantação de novos estacionamentos que estavam previstos no projeto original das superquadras. Este projeto como um todo está sendo tratado no PPCUB. A Administração de Brasília vem acompanhando a elaboração do plano, com a preocupação da requalificação do uso no centro da cidade.

A revitalização da W3 é realmente tão complexa a ponto de necessitar de duas décadas para a implantação de mudanças?
O programa de revitalização da W3 estrutura-se em intervenções sobre o espaço público, em diretrizes para requalificação de edificações, na revisão do uso de parâmetros.

Quais os aspectos fundamentais no planejamento e na execução de ciclovias?
O GDF vem investindo em novos meios de mobilidade urbana, como os BRTs. As ciclovias vêm para melhorar a qualidade de vida dos moradores da cidade. A preocupação é que a obra seja executada com qualidade.

O governo tem oferecido apoio necessário para a revitalização dos projetos da administração?
O conjunto do governo tem se empenhado na execução das obras, uma vez que é a capital do país. Grande parte das obras é executada por outras secretarias. A Administração faz um acompanhamento.

Como foi o início do governo?
O governo Agnelo assumiu em processo de turbulência. Com as empresas estatais sucateadas, correndo risco. Tanto as empresas estatais como o GDF não podiam buscar recursos públicos. Hoje o governo conseguiu retomar o avanço das empresas e retomar algumas obras que estavam paradas como o VLT, conclusão do Estádio Nacional, implantação das unidades de pronto atendimento (UPAS), contratação de novos professores, médicos. Implantou o orçamento participativo e abriu o  diálogo com a comunidade. Grandes obras de mobilidade urbana. A ampliação do metrô da Asa Norte, a renovação da frota de transporte urbano, o desenvolvimento do Parque Tecnológico Capital Digital, grande polo econômico destinado à ciência, tecnologia e inovação, são alguns exemplos.

 

 

Fonte: Jornal da Comunidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui