ARRUDA FAZ PIADA DE ESCÂNDALO DE CORRUPÇÃO NO DF

0
13

O governador José Roberto Arruda (sem partido) resolver aparecer ao grande público. Abriu as portas do Buritinga para receber seu novo secretariado e a imprensa local. Abusou de caras e bocas, e fez um comentário cínico, ao afirmar que “tudo é culpa dele, até a Mega-Sena!”. Arruda faz piada de assunto sério. Estamos falando da imagem amplamente divulgada do então deputado federal que pegou das mãos de Durval Barbosa, R$ 50 mil em 2006. Arruda, para se defender das sérias acusações que lhe são feitas, resolveu atacar seu ex-padrinho político, o ex-governador Joaquim Roriz. Não existem imagens, nem áudio de Roriz entregando dinheiro, recebendo dinheiro ou falando com Durval sobre pagamentos à secretários, desembargadores, advogados, etc. Os fatos mostram o atual governador do DF em situações altamente comprometedoras, em exemplos claros de corrupção ativa e passiva. Alguém tem de impedir que o cinismo de Arruda continue perpetuando e manchando a imagem de Brasília, que não tem culpa dos políticos que tem, nem dos que recebe. Arruda, ao contar tal piada diante da imprensa e de seu secretariado, com um largo sorriso na cara, demonstrou que não está nem aí para a opinião pública. Aliás, pra quê se preocupar? Ele não precisa mais abraçar crianças sujas e trabalhadores suados; não precisa fazer ‘graça’ com sindicatos, associações, igrejas, escolas, ongs, etc;  Não precisa atender ninguém por obrigação; pode fazer o que quiser, nomear quem desejar, dar contratos emergenciais à empresas amigas do peito, e ainda tem direito às mordomias do cargo de governador. Com a publicidade oficial, mantém a informação na forma que deseja, com o direcionamento “baiano” do seu secretário de comunicação. Agora, Arruda só se preocupa com sua base aliada porque precisa muito dos deputados distritais para se defender do impeachment. Trata-os com carinho, atenção e cortesia, não necessariamente nessa ordem. Mas o governador, que ao assumir o comando do DF, afirmou que faria uma “varredura” nos contratos do GDF, e que faria um governo da “legalidade” e da “moralidade pública”, se esqueceu que sua própria campanha havia sido, segundo Durval Barbosa,  paga com recursos públicos. Arrruda já sabia da “imoralidade” ainda em 2006. Perpetuou o caminho durante toda a campanha eleitoral de 2006. Teve seu escriório na W3 Sul mantido por Durval por um longo período; Teve suas contas pagas por Durval; Pediu emprego para os filhos a Durval; Distritibuiu panetones com dinheiro que não era dele. Arruda tenta debitar na conta de Roriz, todos os vídeos e áudios (gravados em 2006 e em 2009), testemunhos, dinheiro e gravações feitas pelo próprio Durval em conversas com ele, num claro gesto de suposta esperteza e certo de que não deixará o cargo e nem será punido. Arruda só se esquece de duas coisas: Existem vídeos que nem no Mensalão do PT existiram, e existe a lei de semeadura: o que se planta, se colhe. Enquanto Arruda faz piada de roubalheira explícita, muitas pessoas sofreram, outras morreram nos últimos anos devido à falta de remédios, tratamentos adequados nos hospitais públicos do DF, e outras que tiveram suas casas derrubadas e suas vans excluídas das ruas ainda sofrem. É triste ver na televisão, que o governador de Brasília  não é um homem de bem, mas de bens. É constrangedor ver nossa cidade estampada em tristes manchetes quase que diariamente nos jornais do Brasil. É humilhante saber que mesmo com tantas evidências, temos deputados distritais que apoiam o atual governador. É revoltante ver o homem que mentiu ao Brasil uma vez, tornar a repetir os dois maiores erros de um político: a insensatez e a ganância. E foi esta insensatez que trouxe à público,  imagens de um político corrupto, ávido pelo poder, com um discurso de humildade, seriedade e legalidade,  que era até pouco tempo atrás, o queridinho da imprensa, dos partidos políticos e dos empresários da cidade, em cenas lamentáveis que mostram seu lado oculto e perverso. Deus nos ajude e que a sociedade tenha condições de acabar de uma vez com a farsa de Arruda. Só uma pergunta: Se Arruda quer envolver o governo anterior no quesito “contratos de tecnologia”, por que seu governo reconheceu inúmeras dívidas milionárias de empresas da área, em 2007?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui