ARRUDA VACILA E CPI DIGITAL É CRIADA

0
10
Num vacilo do GDF, e na esperteza do bloco dos “independentes”, foi publicado nesta quarta-feira (9) no Diário da Câmara Legislativa (DCL) o Ato do Presidente nº 569/2009, assinado pelo presidente em exercício da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Cabo Patrício (PT), que cria a chamada “CPI Digital”. A Comissão Parlamentar de Inquérito, prevista no Requerimento nº 1.629/2009, terá um prazo de 180 dias para investigar denúncias de irregularidades nos contratos de prestação de serviços celebrados entre a Universidade de Brasília (UnB) e a Fundação de Estudos e Pesquisas em Administração e Desenvolvimento, materializadas em investigações da Controladoria-Geral da União, “que apontam condutas ilícitas e imorais de agentes públicos com recursos federais, que teriam causado vultosos prejuízos aos recursos do Distrito Federal”. Mas a CPI ampliará suas investigações. Recentemente aconteceu um pregão eletrônico que previa um contrato de tecnologia milionário com a SEDEST. Empresas supostamente ligadas ao ex bicheiro Messias Ribeiro concorreram. Mas quem levou foi uma empresa que tem parentes do secretário de Planejamento Penna. Como a notícia logo se espalhou, Penna decidiu suspender o contrato e manter o atual contrato na SUDEST nas mãos de Messias Ribeiro, que continua trabalhando (e faturando) mesmo sem contrato. Aliás, virou praxe no governo Arruda, empresas de Tecnologia atuarem mesmo sem contrato. O DFTRANS mantém um generoso contrato com a empresa Minauro, de Curitiba, muito ligada ao atual diretor Paulo Munhoz, que também é do Paraná. Neste caso, foi feito um Pregão (que é a modalidade preferida no governo Arruda quando o assunto é tecnologia, e não me perguntem por quê). Sem falar naquela lista de pastores que foram contratados pela Linknet para trabalhar na eleição de um conhecido deputado distrital, irmão de um cidadão que alardea que se cair, levará dois governos junto.
A CPI será composta pelos seguintes deputados:
Titulares – Brunelli (DEM); Batista das Cooperativas (PRP); Cristiano Araújo (PTB); Cabo Patrício (PT); e Bispo Renato (PR).
Suplentes – Geraldo Naves (DEM); Rogério Ulysses (PSB); Jaqueline Roriz (PSDB); Erika Kokay (PT) e Benício Tavares (PMDB).
Ainda não foi definida a data de instalação da CPI.
CLDF

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui