artigo de Junji Abe: Longe da solidão

0
18

Junji Abe

O casal de idosos canadenses Anita e Wolfram Gottschalk emocionou o mundo em
setembro. Circulou na internet uma foto em que eles apareciam se despedindo
antes de serem internados em casas de repouso diferentes, por falta de vagas
numa mesma clínica. Uma intervenção divina mudou o curso da história.  “Eles
agora podem ficar sob o mesmo teto nos anos que lhes restam e não poderíamos
estar mais gratos”, escreveu a neta Ashley Bartyik, ao postar imagens do
casal juntinho – e feliz – outra vez.

Uma das maiores conquistas culturais de um povo e prova da sua evolução
social é garantir o envelhecimento com qualidade de vida. Enquanto prefeito
de Mogi das Cruzes (2001 a 2008), contei com o apoio da Câmara Municipal
para implantar políticas públicas pioneiras em prol da terceira idade.
Instalamos o Conselho Municipal do Idoso e, na sequência, desencadeamos uma
bateria de ações. De programas de medicina preventiva até o Promeg (Programa
de Medicamento Gratuito), passando por consultas médicas domiciliares.

No rol das ações para terceira idade, destaco o inédito Pró-Hiper. Com
médicos, assistentes sociais e profissionais de educação física, reúne
atividades de recreação, sala de ginástica e fisioterapia com modernos
equipamentos, piscina aquecida, sauna, vestiário, jardim, quiosques, áreas
para jogos, dança e música, além de laboratório de informática, dotado de
computadores com acesso à internet.

Mais tarde, enquanto deputado federal, tive a satisfação de apresentar
projetos em prol da terceira idade. Para ilustrar, cito a proposta (
<http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=55EF
3E4BC0EB7E49E9B5BD6D30D68CD6.proposicoesWeb2?codteor=1231184&filename=PL+718
9/2014
> 7189/2014) de aumentar para pelo menos 5% a cota de moradias dos
programas habitacionais populares reservada a quem tem mais de 65 anos. Ou
outra (
<http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=5657
20> 5048/2013) que isenta da obrigatoriedade da entrega da declaração de
Imposto de Renda quem tem mais de 70 anos, sobrevive só com proventos da
aposentadoria e possui baixo patrimônio. Ou aquela (
<http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=6212
03> 7850/2014) que obriga o poder público a garantir às pessoas com 60 anos
de idade ou mais o direito de acesso às universidades abertas.

A população idosa no Brasil chega a 12,3%, com a expectativa de representar
30% em 2050. No mundo, serão 2,06 bilhões de idosos. Daí o alerta da
Organização Mundial da Saúde (OMS) para um trabalho diuturno voltado à
terceira idade. Mas, não basta. A presença familiar, com atenção e afeto, é
imprescindível. Cuidar do idoso não significa tolhê-lo de sua
individualidade e autonomia nem fazê-lo crer que deixou de ser útil. Cuidar
é amar. É preciso mantê-lo longe da solidão, porque ela é mortal. Possamos,
nós também, trabalhar por um final feliz dos nossos veteranos, inspirados no
casal canadense.

Junji Abe é líder rural, foi deputado federal pelo PSD-SP
(fev/2011-jan/2015) e prefeito de Mogi das Cruzes (2001-2008)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui