Artigo – QUEM É CRISTOVAM BUARQUE?

2
29

Muitos amigos se surpreendem ao saber que não votarei em Cristovam Buarque para senador. Sabem que trabalhei com ele, mas desconhecem os motivos pelos quais pedi demissão. Para eles, devo a seguinte explicação: a incoerência é apenas uma das razões para ele não merecer mais o meu voto. Afinal, ele desferiu duros golpes em Lula, Sarney e Dilma para, no final, aceitar ao papel de papagaio de pirata nos palanques, entrevistas e horário eleitoral para as pessoas quem criticou e condenou. Qual foi o acordo que calou a boca do senador Cristovam?

Outro motivo foi a revelação de que o senador Cristovam Buarque, “paladino da ética e referência moral do Congresso”, responde a um processo de improbidade administrativa da época em que era governador do DF. O furo foi da Revista Mais Capital, publicada em abril de 2010. (leia abaixo o trecho da entrevista). E ele já perdeu em primeira instância. Se já tivesse sido condenado por um colegiado talvez figuraria na temida lista dos fichas-sujas ainda nessa eleição…

Durante muito tempo até entrar na indecente coligação de Agnelo Queiroz (PT e PMDB), que reuniu nomes condenáveis da política brasiliense e nacional, Cristovam discursou e publicou artigos nos principais jornais do país criticando essas mesmas pessoas a quem hoje chama de aliados. Até aí ok. Não se esperava menos de quem tem a confiança do povo de Brasília e se considera o líder da ética no Congresso.

Mas integrar essa coligação foi um retrocesso na biografia do ex-governador do DF e uma traição aos votos recebidos em 2002. Dividir o palanque com Sarney, Gim Argello, Tadeu Filipelli, Agnelo Queiroz é aceitar o continuismo da velha maneira de se fazer política. Método este tão atacado pelo nobre senador brasiliense em diversas ocasiões. Cristovam parece viver em profunda crise de personalidade e, por isso, abre concessões inaceitáveis para alguém que se considera um humanista. Em nota ao Correio Braziliense chegou até a prometer que, se o PDT se aliasse com partidos suspeitos, ele não se candidataria ao Senado. Está tudo aí embaixo. É só ler. Tudo foi escrito pelo próprio senador Cristovam.

Esse é o problema em votar no candidato por considerá-lo ético. Infelizmente, diante de tantos candidatos despreparados e suspeitos, o brasileiro é obrigado a votar no que considera mais ético. Esquecendo-se de que é obrigação de todos serem éticos. Não poderia ser um diferencial.

Como o brasileiro é conhecido por ter memória fraca me dei ao trabalho de reunir alguns desses artigos escritos pelo senador Cristovam e alguns discursos proferidos na tribuna do Senado. É fácil notar que em algum momento houve uma ruptura dos ideais, da ética e da moral pelo apego ao poder por parte de Cristovam. Teria sido pela vaidade, mero oportunismo ou um acordo fechado em reunião sem foto para registro? Já sabemos que o PT exigiu a suplência do mandato em troca do apoio a candidatura de Cristovam. E o nome é Wilmar Lacerda, acusado de integrar a quadrilha do mensalão.

A questão é: o que virá depois? Vão lotar ainda mais o gabinete do nobre senador com os correligionários desses partidos oportunistas?

Depois de ler os artigos e discursos que pesquisei no próprio site do senador, mande emails (cristovam@senador.gov.br) para ele ou telefone (3303 2281) para perguntar o que houve. Onde foram parar as críticas? O que teria adormecido a eloquência do representante do DF que apresentou 109 Projetos de Lei mas apenas quarto ou cinco de interesse dos brasilienses?

Para quem leu e ouviu o senador Cristovam vale lembrar. Para quem não teve a oportunidade essa é a hora para decidir. Lembro que os artigos e discursos relacionados aqui estão disponíveis no site do senador: www.cristovam.org.br

Atenciosamente,

Afonso Morais

ENTREVISTA DA REVISTA MAIS CAPITAL PUBLICADA EM ABRIL DE 2010:

MAIS CAPITAL – Condenação por promoção pessoal quando governador…  

CRISTOVAM BUARQUE – Era uma prestação de contas do governo, o meu secretário de Comunicação colocou a minha imagem em DVD. E isso foi considerado improbidade, quer dizer, não foi considerada improbidade, isso aconteceu. Aí, o Luiz Estevão, então deputado, conseguiu uma pessoa que fizesse uma ação popular, que foi arquivada. Eu ganhei em primeira instância. Aí, foi aberta outra ação popular, pelo mesmo assunto, em que eu fui condenado em primeira instância, mas o processo ainda está correndo. Tudo porque eu apareço em um video de prestação de contas do governo. Isso foi considerado promoção pessoal.

 

Artigo: Poster no Poste (publicado no Jornal do Commercio em 5/9/08) “Se, em 2010, Lula quiser transferir seu imenso capital politico, terá de escolher um candidato sem personalidade.”, escrito por Cristovam quando o Lula já sinalizava lançar a candidatura de Dilma em 2010 comparando o candidato do governo à presidência à um poste. E hoje o senador tira fotos ao lado de Dilma (ou seria um poste?) e dividindo o palanque com o Lula. Francamente, Cristovam. Para ler na íntegra, acesse o link abaixo:

http://www.cristovam.org.br/portal2/index.php?option=com_content&view=article&id=1857%3Ao-poster-no-poste-jornal-do-commercio-592008&catid=18&Itemid=100054

Matéria: Cristovam lamenta a falta de propostas de candidatos, que “apenas fazem o que mandam os marqueteiros” (publicado na Agência Senado sobre discurso proferido pelo senador Cristovam em 16/09/08) – Cristovam admite que hoje as diferenças entre os candidatos “são mínimas” e que estes não estão preocupados com ideologia. Para ele, “tudo virou uma geléia geral”e “essa aglutinação inimaginável que se vê hoje em torno do presidente Lula trouxe um vazio ideológico grave: os estudantes parados, os sindicatos desmobilizados, os intelectuais silenciados. Fica todo mundo dentro e quem não está satisfeito fica calado, não faz crítica. Quem pensa diferente é cooptado”.

http://www.cristovam.org.br/portal2/index.php?option=com_content&view=article&id=1925:cristovam-lamenta-a-falta-de-propostas-de-candidatos-que-qapenas-fazem-o-que-mandam-os-marqueteiros&catid=27&Itemid=100072

Artigo: Sem História (publicado no Jornal do Comércio em 3/10/08) – “Os partidos estão misturados em composições diferentes de uma cidade para outra, sem a menor cerimônia entre antigos adversários, todos “igualmente iguais” (o que dizer agora que o senhor está na mesma coligaçao que abriga Tadeu Fillipelli e José Sarney?), sem cor, sem dentes, sem projetos diferenciados. Não há sinal de idéias. O resultado desse retrocesso político-ideológico levará anos para ser corrigido. Os partidos parecem clubes eleitorais, reunindo candidatos sem sonhos coletivos, sem idéias de futuro. Somente a conveniência, para aumentar o tempo de televisão.” Veja o link abaixo e confira o texto na íntegra:

http://www.cristovam.com.br/portal_old/index.php?option=com_content&view=article&id=2028:sem-historia-jornal-do-commercio-3102008&catid=18&Itemid=100054

Leia o comentário do senador Cristovam Buarque à matéria publicada no Correio Braziliense (Indefinição coloca Cristovam na berlinda), no dia 8 de novembro de 2008. – “Se, o que eu não acredito, o PDT um dia tomar o mesmo rumo de outros partidos, eu não mudarei outra vez de partido, continuarei no PDT, e deixarei de disputar eleições.” Leia a íntegra da nota no link abaixo: 

http://www.cristovam.org.br/portal2/index.php?option=com_content&view=article&id=2224:resposta-de-cristovam-a-materia-do-correio-braziliense-publicada-no-dia-811&catid=18&Itemid=100054

Artigo: Optei por Apartar (publicado no Jornal do Commercio em 6/02/09) – “Mas o estilo do presidente Lula é de apartar as diferenças que existem nos diversos grupos sociais e políticos nacionais, procurando e conseguindo aglutinar pela omissão da escolha. O que caracteriza o Presidente Lula é sua capacidade de “apartar” as diferentes opiniões, juntando-as em um silêncio reverencial por parte dos intelectuais, na submissão dos sindicatos e dos empresários; no acomodamento dos estudantes e da juventude; na formação de pacotes partidários tão amplos que ele fica sem oposição, porque mesmo quando esta vence, ele vence também. No lugar de serem as forças da “opção”, Lula e o PT são as forças da aglutinação ao “apartar” cada grupo e uni-los por meio da interminável conciliação. (O senhor foi apartado e depois aglutinado???). Leia abaixo o texto na íntegra:

http://www.cristovam.com.br/portal_old/index.php?option=com_content&view=article&id=2502:optei-por-apartar-jornal-do-commercio-622009&catid=18&Itemid=100054

Artigo: Ainda Fernando (publicado no jornal do commercio em 3/4/09) – “Ao comentarmos o caos partidário brasileiro, a perda absoluta de identidade nos partidos, as alianças esdrúxulas sem constrangimento, ouvi dele (Fernando Lyra) uma frase marcante: “Os partidos estão descaracterizados, mas ainda existe o ‘lado de lá’ e o ‘lado de cá'”. Não podemos perder o sentido de que na política há dois lados, e que saltar de um para outro é incoerência.”

“De lá para cá, políticos dos mais diversos partidos se uniram, como “saladas políticas”, sem qualquer nitidez de princípios, saltando de um lado para outro da linha ideológica que separa os partidos, transformados em clubes eleitorais.”

Ficou difícil diferenciar. Difícil passar uma linha separando Dilma e Serra. Porque o PT e o PSDB têm posições tão parecidas, e aceitaram alianças tão incoerentes com outros partidos, que fica difícil dizer que estejam de lados diferentes, ou mesmo que tenham um lado.”

Sem essa definição, fica sempre aberta a possibilidade de que a linha que separa os dois lados fique tênue demais e não seja percebida, e que os coerentes as atrevessem por ingenuidade, e que os oportunistas, por esperteza, tenham desculpas para ultrapassá-la. (esclareça se o senhor é ingênuo ou oportunista ao pular para dentro do caldeirao que misturou o PT ao PMDB).” Leia este artigo na íntegra no link abaixo:

http://www.libertas.com.br/site/index.php?central=conteudo&id=2755

Entrevista Portal Terra Magazine (publicada em 1 de julho de 2009)

Terra Magazine – Como avalia o posicionamento do Planalto frente ao Senado?

Cristovam – Eu acho uma desmoralização maior ainda do Congresso. O presidente Lula está conseguindo piorar a situação. São poderes independentes. Mas o presidente Lula, hoje, passa a impressão de que o Senado é como se fosse um dos seus ministérios. Isto é uma vergonha.


Terra Magazine – A sugestão foi feita pela ministra Dilma Roussef?

Cristovam – Então, isso começa a nos deixar preocupados com o governo Dilma. Se ela como ministra já está interferindo no Congresso, imagina como presidente? São poderes independentes. O diferente disso acontecia no Regime Militar, um terço dos senadores era biônicos, escolhidos pelo presidente.



http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI3853423-EI6578,00-Buarque+apoio+de+Lula+a+Sarney+agrava+a+crise.html

Artigo: Vitória de Judas (publicado no Jornal O Globo, em 7/11/2009) – “Foi preciso esperar o ano de 2002 para eleger um presidente filho do povo e comprometido com o povo. Mas, como ele reconhece, obrigado a aliar-se aos judas. Não disse, porém, que ele se aliou para seu governo servir aos judas, e não para os judas servirem ao seu governo.”

O presidente filho do povo mostrou ser melhor do que os presidentes filhos da elite, mas fez alianças para não reformar a estrutura social do Brasil. Mas, seguiu o mesmo padrão do passado, aliando anjos e demônios para não mudar o País. (a mesma aliança da qual o senhor faz parte hoje?)

http://www.cristovam.org.br/portal2/index.php?option=com_content&view=article&id=3318:vitoria-de-judas-o-globo-9112009&catid=154:artigos&Itemid=100139


Um abraço,

Marcos Linhares
Diretor de redação
Revista Mais Capital
61 3468-5697/ 8405-8290

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui