As joias da Drácon

0
9

Policiais civis e promotores da Operação Drácon apreenderam muitas joias nas buscas realizadas nas casas dos deputados distritais sob investigação.
Por Ana Maria Campos-Correio Braziliense –

Não chega a ser uma coleção como a da advogada Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador do Rio, Sérgio Cabral. Mas policiais civis e promotores da Operação Drácon apreenderam muitas joias nas buscas realizadas nas casas dos deputados distritais sob investigação. São mais de 30 anéis, 67 brincos, 26 colares, vários pendentes, dois piercings, sete alianças, três escapulários e três medalhas.

As peças passaram por avaliação da Caixa Econômica Federal e, segundo laudo, valem, no total, R$ 113,3 mil. Entre as preciosidades, há anéis de diamantes e um colar com fio de pérolas barrocas. As peças estão divididas em 13 caixas. O porta-joias mais precioso foi avaliado em R$ 59.720, com sete alianças, 23 anéis, 32 brincos, 16 colares e uma pulseira de ouro. Nada comparado com as compras de Adriana Ancelmo na joalheria Antônio Bernardo, ou o anel de ouro branco e brilhantes de R$ 880 mil que o empresário Fernando Cavendish, dono da Delta Construções, presenteou a ex-primeira-dama nos tempos áureos.