Câmara aprova comissão para investigar suspeitas contra Petrobras

0
7

A Câmara aprovou a formação de uma comissão para apurar suspeitas contra a Petrobras. Foi uma derrota para governo com mais de 200 votos, e mostra o desgaste com um dos principais aliados no Congresso: o PMDB.

O partido controla um grupo na Câmara chamado Blocão. O grupo reúne alguns deputados de oposição, mas principalmente de outros partidos que apoiam o governo. Foram 267 votos a favor da comissão.

No Congresso, a queixa é de que falta articulação política, de mais conversa do governo com os parlamentares.

Uma comissão externa foi criada para investigar denúncias de irregularidades na Petrobras. O PMDB, um dos maiores partidos da base governista, votou contra a orientação do governo.

O partido não está satisfeito com o espaço que tem na Esplanada dos Ministérios. E depois de algumas reuniões, os deputados pemedebistas anunciaram que iam atuar com independência em relação ao governo.

Os votos do PMDB se somaram aos da oposição para aprovar, com placar folgado, a comissão externa da Petrobras.

O presidente da Câmara, que é do PMDB, lembrou que o partido não foi o único entre os governistas a votar a favor da comissão. “Doze líderes foram a favor de votar o requerimento. O PMDB foi um entre os 12. Então não e do PMDB o comando disso. É um deles que votou dessa maneira por entender que era importante uma comissão investigatória e não acusatória”, afirmou Henrique Eduardo Alves.

A comissão externa pretende ir à Holanda pra acompanhar de perto a apuração do caso. A suspeita é que a SBM Offshore, uma empresa holandesa que tem contratos com a Petrobras, teria pago propina a funcionários da estatal brasileira.

“Buscar na Holanda, nos Estados Unidos e na Inglaterra informações que possam subsidiar a investigação completa envolvendo a SBM e a Petrobras, que e a empresa envolvida nessa suposta investigação”, disse o líder o Democratas Mendonça Filho.

PT votou contra a comissão, alegando que não foi aberta uma investigação formal sobre o caso na Holanda, e admite que há dificuldades na relação com os partidos aliados.

“Agora é hora de parar, nós não podemos partir do pressuposto de que tudo está resolvido. Nós temos um problema concreto na Câmara e ele tem que ser resolvido a partir da articulação política do governo”, confirmou o deputado petista André Vargas.

Mais cedo, quando ainda estava no Chile, a presidente Dilma Rousseff chegou a falar sobre a relação com o PMDB. “Olha aqui, vou te falar uma coisa. O PMDB só me dá alegrias”, afirmou.

 

 

 

Fonte: Estação da Notícia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui