Câmara aprova e Paulo Tadeu é o mais novo conselheiro do TCDF

1
18

 

O deputado federal Paulo Tadeu (PT) é o mais novo conselheiro do Tribunal de Contas do DF. Ele irá substituir Ronaldo Costa Couto que se aposenta compulsoriamente no próximo dia 3 de outubro. O nome do parlamentar foi aprovado agora pouco por 23 dos 24 deputados distritais da Câmara Legislativa do DF. O parlamentar deverá renunciar ao mandato e enviar uma carta de desfiliação do PT.

Com a saída de Paulo Tadeu, o presidente do PT-DF, Roberto Policarpo, assume de forma definitiva a vaga de deputado federal. Outro que retornará a Câmara dos Deputados é o suplente Augusto Carvalho, ex-secretário de Saúde no governo de José Roberto Arruda.

A arguição dos indicados ao TCDF é prevista na Lei Orgânica do Distrito Federal. Na reunião da CEOF, cada um dos cinco membros titulares da comissão questionou o deputado federal sobre sua capacidade técnica para assumir a vaga de conselheirose colheram suas opiniões sobre a relação do TCDF com o Poder Executivo. Primeiro a sabatinar Paulo Tadeu, Cláudio Abrantes (PPS) quis saber o posicionamento do petista sobre a atuação do Tribunal na análise da licitação que vai renovar a frota de ônibus do DF.

Paulo Tadeu reconheceu que os questionamentos do TCDF vêm atrasando a compra dos veículos e disse que, historicamente, os governos privilegiaram os interesses econômicos em detrimento dos anseios dos moradores da cidade. “É uma licitação importante. Um processo que precisa chegar a seu final, respeitando a legalidade e a transparência”, afirmou Tadeu.

Wasny de Roure (PT) elogiou a atuação de Paulo Tadeu como relator da CPI da Codeplan em 2010 e quis saber a opinião do indicado sobre a necessidade de se estabelecer um prazo para a apreciação das contas anuais do Governo do Distrito Federal, por parte da CEOF. “Essa Casa tem toda a competência para estabelecer prazos que evitem contas paradas por 10 anos, mas também que não possibilitem o achaque de governadores”, afirmou Tadeu.

Já Eliana Pedrosa (PSD) disse que ficou surpresa com o pouco prazo que os membros da CEOF tiveram para preparem perguntas para a sabatina. A deputada questionou Tadeu a respeito da pratica freqüente do TCDF de aprovar contas do governo com ressalvas. “As ressalvas são um instrumento para identificar situações de falha ou de emergência, não podem ser utilizadas para acobertar deslizes que não se justificam”, afirmou o deputado federal.

Missão – Benedito Domingos (PP) optou por fazer uma pergunta pessoal. O distrital quis saber por que Paulo Tadeu aceitou trocar a Câmara dos Deputados pelo TCDF, que “geralmente é um prêmio de consolação para quem já está no final da vida política”. Tadeu disse que esse não era o seu sonho, mas que assumiu a indicação como “mais uma missão”. O deputado federal também ressaltou que o Tribunal de Contas “não pode ser colocado em segundo plano”.

Último membro titular da CEOF a sabatinar Paulo Tadeu, Agaciel Maia (PTC) perguntou qual era experiência do petista no acompanhamento da execução orçamentária e dos gastos do governo. Tadeu citou sua atuação como relator da CPI da Codeplan, que investigou as denúncias tornadas públicas pela Operação Caixa de Pandora, e como membro da CEOF por duas legislaturas. “Na CPI, por exemplo, fizemos uma verdadeira auditoria das contas do governo. Essa é uma experiência que me qualifica”, afirmou Tadeu.

Diversos parlamentares desejaram boa sorte ao novo conselheiro do Tribunal de Contas e reconheceram sua atuação na vida pública do Distrito Federal, seja como deputado distrital, deputado federal e secretário de governo. “Você vai abrir a Caixa Preta do TCDF para a sociedade. Nós sabemos o que o GDF tem enfrentado nesse um ano e nove meses. Sabemos que você tem capacidade para cumprir essa missão de construir uma cidade mais justa e igualitária”, afirmou o presidente da Câmara Legislativa, deputado Patrício (PT). Com informações da CLDF.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui