CAMPANHA DE DILMA DEVE R$ 30 MILHÕES

2
14

 

TRANSIÇÃO
Campanha de Dilma deve R$ 30 milhões

A campanha da presidente eleita Dilma Rousseff (PT) acumulou um déficit de R$ 30 milhões. Teve despesas de cerca de R$ 160 milhões durante os quatro meses de eleições, e só arrecadou, por enquanto, R$ 130 milhões. A coligação espera conseguir mais doações até o fim do mês, quando vence o prazo da prestação de contas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para não fechar no vermelho.

No primeiro turno houve sobra de caixa de R$ 5 milhões. O tesoureiro da campanha, o deputado eleito José de Filippi Jr (PT-SP), diz que no segundo turno caiu o ritmo de arrecadação, além de gastos imprevistos: — Estávamos prontos para o jogo. Mas o segundo turno foi uma prorrogação de 30 minutos e não podíamos brincar. Tivemos que assumir a fatura dos estados mais importantes, que já tinham desmobilizado — disse.

No primeiro turno, as despesas somaram R$ 97 milhões. No segundo turno, ficaram em cerca de R$ 63 milhões. A campanha de Dilma bancou sozinha os custos dos comitês estaduais nos maiores colégios eleitorais onde a campanha terminou em 3 de outubro, como São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Bahia, Paraná e Rio Grande do Sul.

Após pedir o aumento de teto de gastos ao TSE, no início de outubro, os arrecadadores conseguiram doações de cerca de R$ 28 milhões nas três semanas seguintes. Para Filippi, os doadores tradicionais — historicamente, grandes empreiteiras e bancos — achavam que não seriam mais procurados por acreditar que as eleições acabariam no primeiro turno.

Ele disse crer que conseguirá saldar as dívidas, das quais cerca de dois terços se referem à produção de materiais e impressos. Há ainda contas a pagar para o marqueteiro João Santana, o Ibope, advogados e prestadores de serviços: A radiografia das despesas ainda não está consolidada, mas aponta para uma divisão de gastos semelhante ao primeiro turno, com cerca de 50% dos gastos para a produção de materiais e programas de rádio e TV. Outros 10% se referem à logística de transporte de Dilma e os reembolsos à Presidência, pelas viagens de campanha do presidente Lula. Cerca de 300 empresas foram no primeiro turno.

Informações de O Globo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui