CELINA LEÃO PEDE CONTRATAÇÃO IMEDIATA DE PROFESSORES

2
10

 

Na “guerra entre companheiros” travada hoje (24) durante reunião entre o Sindicato dos Professores do DF (Sinpro-DF) e o Governo do Governo do Distrito Federal (GDF), o secretário de Governo, Paulo Tadeu (PT), decidiu adiar, por mais uma semana, a decisão sobre a contratação dos 1545 professores que haviam sido convocados pela Secretaria de Educação na semana passada e desconvocados horas depois. Na manhã de hoje, eles se reuniram em frente ao Palácio do Buriti para protestarem e foram recebidos pelo secretário. Todo o encontro foi acompanhado pela deputada distrital Celina Leão (PMN), que comprou a briga da categoria e foi cobrar um posicionamento do GDF.

“Foi um erro gravíssimo. Se temos carência de professores na rede pública, se temos orçamento, não há nada que impeça a contratação imediata desses profissionais. Além do mais, muitos foram prejudicados com a ‘desconvocação’. Um governo que quer começar diferente não pode ter erros como este, logo em uma área tão importante”, criticou a parlamentar. Segundo Celina, na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), já aprovada pela Câmara Legislativa do DF, há verba para a contratação imediata de 400 professores. “Não justifica deixar a decisão para a próxima segunda. Esta não é uma resposta que um governo deve dar para a cobrança dos professores”, destacou.

O secretário Paulo Tadeu reconheceu o erro da “desconvocação”. “O governo errou”, disse ao diretor do Sinpro-DF, Washington Dourado. Contudo, para a deputada Celina, “se houvesse vontade política, o erro seria corrigido com a contratação dos profissionais convocados”. “É a primeira vez que assisto uma negociação onde o governo simplesmente adia uma decisão”, explicou a parlamentar. A próxima reunião do governo com a categoria ocorrerá na próxima segunda-feira, às 10h. O secretário prometeu apresentar um cronograma de nomeações.

Além da deputada Celina Leão, a deputada distrital Eliana Pedrosa (DEM) também participou do encontro. Em nome da bancada de oposição na Casa, as parlamentares propuseram uma convocação extraordinária, sem ônus ao governo, para que os deputados adequassem o orçamento para viabilizar as contratações imediatamente. Contudo, a ideia não foi aceita pelo secretário de Governo.

De lá, Celina e Eliana seguiram para a Secretaria de Educação onde entregaram ofício solicitando ao órgão o número real do banco de vagas existente hoje na Educação. A secretária se comprometeu a entregar amanhã (25) o levantamento às deputadas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui