CERCO AO JORNAL O POPULAR DERRUBA COMANDANTE DA PM

0
8

GOIÁS
Cerco ao jornal O Popular derruba comandante da PM

O comandante das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam) da Polícia Militar de Goiás, tenente-coronel Carlos Henrique da Silva, foi afastado após ato de intimidação contra o jornal “O Popular”. Depois da publicação pelo jornal goiano de reportagem revelando detalhes da atuação de grupo de extermínio com o envolvimento de integrantes da Rotam, oito veículos da unidade circularam em comboio, em baixa velocidade e com sirenes e giroflex ligados, no quarteirão onde fica a sede das Organizações Jaime Câmara, grupo que controla a publicação.

De acordo com a assessoria de imprensa da PM de Goiás, o afastamento do comandante da Rotam foi “uma resposta à sociedade, em razão do fato ocorrido nesta quinta-feira”. Segundo “O Popular”, os carros da Rotam deram duas voltas na quadra, às 10h18m. Normalmente, os carros da Rotam saem em comboio e se dispersam logo em seguida. Nesta quinta, entretanto, eles seguiram até a sede do jornal, a 2 kms do quartel, para só depois seguir a rotina.

A reportagem de “O Popular” revelou detalhes da operação “Sexto Mandamento”, da Polícia Federal, que desmantelou um grupo de extermínio que envolvia agentes e até mesmo ex-dirigentes da Rotam. Na operação, 19 PMs foram presos, por suspeita de envolvimento nos assassinatos.

Além do afastamento do comandante, todos os policiais que estavam na ronda foram aquartelados e os veículos, recolhidos. A PM de Goiás também instaurou uma sindicância para apurar a responsabilidade dos envolvidos na operação.

Em nota, a Associação Nacional de Jornais (ANJ) repudiou a ação dos oficiais e soldados da PM e reafirma a necessidade de apuração do caso e de garantia de segurança aos profissionais do jornal.

Segundo a ANJ, os jornalistas “nada mais fizeram do que cumprir seu dever de informar a sociedade sobre a atuação de agentes do Estado cuja conduta, conforme as evidências que já levaram à detenção de 19 PMs, vinham agindo de forma criminosa”.  Informações de O Globo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui