CLDF – MANOBRA PARA EVITAR CONFRONTO ENTRE CELINA E VIGILANTE

5
11

Sessão da Câmara Legislativa encerrada em menos de um minuto causa polêmica

A sessão da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), marcada para as 15h desta terça-feira (22/3), começou e foi encerrada em menos de um minuto pelo deputado distrital Dr. Michel (PSL), que presidia os trabalhos da Casa. Às 15h05, o Plenário estava vazio e o parlamentar alegou falta de quórum. A decisão causou polêmica entre os distritais.

“Eu não sou palhaço. Me senti desprestigiado. Cheguei lá e não tinha ninguém. A culpa por não ter sessão não é minha”, disse Dr Michel. O encerramento prematuro pegou de surpresa deputados que se encontravam na entrada do plenário.

O deputado Chico Vigilante (PT) disse que o regimento interno da CLDF dá um prazo de 30 minutos de tolerância, após o início da sessão, para o comparecimento dos deputados. Dr. Michel argumentou que o regimento diz que a espera pode ser em “até meia hora”.

Vigilante chegou a propor a reabertura dos trabalhos, porém foi alertado por servidores da Casa que uma nova sessão só poderia ocorrer em caráter extraordinário. Para isso, teria de haver uma pauta definida.

Para o petista, essa situação demonstra uma clara manobra para evitar o debate com a distrital Celina Leão, acusada de envolvimento em desvio de recursos públicos quando era chefe de gabinete da então deputada distrital Jaqueline Roriz. Celina, ao lado de Vigilante, também se mostrou frustrada e lamentou o encerramento da sessão.

O distrital Chico Leite (PT) estava no hall de entrada conversando com assessores e disse ter ficado perplexo com o fato. Em poucos minutos, o plenário da CLDF estava repleto de parlamentares que se mostravam surpresos com o encerramento prematuro. Para o líder do governo, Wasny de Roure (PT), a atitude de Dr. Michel prejudicou o andamento dos trabalhos.

Leia mais na edição de hoje no Correio Braziliense

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui