CLDF: OLAIR É PIVÔ DO ACORDO

5
13

Considerado o maior impasse na discussão das presidências das comissões na Câmara Legislativa, o deputado Olair Francisco (PRTB) abriu mão da disputa pelo comando da Comissão de Economia, Orçamento e Finanças da Casa e, com isso, facilitou os acordos entre parlamentares. O ato de desprendimento de Olair, no entanto, não foi espontâneo. O deputado foi pressionado não apenas pela base governista, mas também pelo seus colegas de bloco. Por fim, foi procurado diretamente pelo governador Agnelo Queiroz (PT), que também lhe pediu que desistisse da disputa.

“A culpa da Câmara estar parada à espera da eleição para as comissões virou do Olair”, desabafou ele. “Mas sou um homem de diálogo”, afirmou.

O diálogo, no entanto, foi demorado. Olair foi aconselhado pelos colegas a abrir mão agora, com argumentos bastante diretos. Distrital de primeiro mandato, ele já teria conquistado espaço na mídia, respeito dos colegas e provocado até mesmo a interferência do governador em pessoa para dissuadi-lo. Era hora de fazer o ato de grandeza e gerar a dívida no governo. “Estou acostumado a vender fiado. Mas agora é como se eu estivesse pagando antecipado, sem ainda receber a mercadoria”, brincou ele, numa comparação com sua vida de empresário – Olair é dono da Agittus Calçados.

A decisão de Olair em ceder nas negociações provocou uma reação em cadeia nos acordos. Com seu bloco já representado na CEOF, Wellington Luiz (PSC) teve de abrir mão da CCJ para Chico Leite. O bloco de Olair, que perdeu a CEOF, ganhou a CAS e a Ética. Derrotado na CEOF, Claudio Abrantes (PPS) ficou com a CAF. Roney Nêmer (PMDB), que disputava a vaga na comissão, foi remanejado para a Meio Ambiente.

Fonte: Blog da Paola Lima

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui