Como resgatar a intimidade do casal?

0
59

 

casal2

Por REGINA RACCO

Conquistar é fácil, mais que fácil, facílimo, porque ao conquistar contamos com o elemento “novidade”.  Facilmente encantamos e nos encantamos, a atração é grande, afinal, desejamos e somos desejadas. E deixando a modéstia de lado, já nascemos apetrechadas com tudo que necessitamos para a conquista. Olhos, pele, cabelo, cheiro, dengo…  Armas infalíveis que envolvem e fascinam. E melhor: Sem que ele se dê conta, achando que foi o grande conquistador!

Já a reconquista… Ah, a reconquista. Essa é mais difícil, requer manha, jogo de cintura, sensibilidade… Acontece que diferente da guerra, a conquista amorosa requer alimentação diária. E é neste ponto que a maioria dos amantes erram. Seguros, já não alimentam mais o sentimento. Abandonam o outro à própria sorte, ou falta desta…

A intimidade cai em ritmo vertiginoso, quando não alimentada. Passamos facilmente de amantes fervorosos a meros conhecidos habitando a própria casa. Isso quando não nos transformamos em inimigos, entrincheirados cada qual em seu próprio espaço, mental e físico.

Já falei em várias ocasiões sobre esse assunto. Essa matéria é apenas mais uma tentativa de despertá-los para o que de fato é necessidade em um relacionamento, ou seja, a presença efetiva, a atenção e o carinho. Se isso falha, o resto falhará junto, é inevitável.

Mas, embora não tão fácil quanto a conquista, a reconquista é possível, se de fato você deseja. Já conheci casais que sequer se beijavam no dia a dia. Porque é exatamente assim que acontece, faltando o alimento o amor acaba, e com ele toda e qualquer intimidade.

Quem deseja reconquistar tem que ter paciência, o processo pode ser lento, às vezes sofrido. Mas vale a pena! Isso porque, por maior que tenha sido a fogueira, mais brasas se encontram embaixo desse montão de cinzas. E são elas que reacenderão a chama que nunca deveria ter apagado. E cá entre nós: Se conquistar nos deixa aquele gostinho de poder, imagine a reconquista!

Essa é uma satisfação a mais na hora de somar todos os benefícios do resgate da relação. Afinal, já se amaram, se entenderam, foi gostoso e muitas lembranças ainda estão bem nítidas. Claro que existe alguma mágoa, mas se há de um lado, haverá também do outro. Esquecer e perdoar é a primeira atitude.

Esse resgate deve ter sabor de recomeço. Vocês devem pemeirar tudo e deixe passar apenas o que foi bom. Dores e raiva, por exemplo, esses sentimento devem ir para o lixo, ou de outra forma, o esforço será em vão.

E então? Que tal começar o ano trabalhando neste projeto de futuro? Algo a se concretizar ao longo dos meses e que poderá ser comemorado na próxima passagem de ano. Ideias não faltarão, tenho certeza. Mas vou dar uma “mãozinha” com algumas dicas que poderão ajudar.

Não esqueça de envolver o outro neste projeto, mesmo que no início ele não se anime ou sequer suspeite…

Regina Racco é professora de ginástica íntima, autora dos livros: O livro de Ouro do Pompoarismo, A Conquista do Prazer masculino e Pirulito e Outras Delícias, sexo para mestres na arte da sedução e Poder sexual e qualidade de vida (esgotado).http://www.pompoarte.com.br

CLIQUE NAS IMAGENS ACIMA E CONFIRA CINCO DICAS PARA A RECONQUISTA!

* Regina Racco é professora de ginástica íntima, autora dos livros: O livro de Ouro do Pompoarismo, A Conquista do Prazer masculino e Pirulito e Outras Delícias, sexo para mestres na arte da sedução e Poder sexual e qualidade de vida (esgotado).

 

LEIA TAMBÉM:

Ano Novo, relacionamento novo!

Faxina emocional para o Ano Novo 

Sexo, o homem no comando

Sexo com sabor de chocolate

Amantes secretos

Cuide bem da sua região íntima

É a mãe!

Cama quente: eu, ele e o computador

Afinal, que relacionamento é o seu?

Posições sexuais e orgasmo simultâneo

Mulheres poderosas e a vida sexual

O sexo antes da cama

Já curtiu a FANPAGE de Ana Paula Padrão no Facebook? Clique AQUI

Siga o Tempo de Mulher nas redes sociais: Facebook / Twitter

 

Fonte: MSN Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui