MAIS
    HomeBrasilConheça as empresas de bilionários que estão ajudando na tragédia do RS

    Conheça as empresas de bilionários que estão ajudando na tragédia do RS

    Desde envio de dinheiro até doação de mantimentos, as grandes companhias estão se movimentando em prol da população do Rio Grande do Sul

    Segundo a revista Forbes, o  estado do Rio Grande do Sul vive sua maior crise ambiental da história, que já dura 10 dias. Os fortes temporais, que começaram a atingir a região no dia 27 de abril e perduraram até o último domingo (5), causaram inundações em diversas cidades do estado após a elevação do nível de rios como Taquari e Guaíba. Com isso, a região já registra mais de 100 mortos e 1,4 milhão de pessoas afetadas pelo temporal.

    A situação de calamidade criou uma onda de solidariedade em todo o país, na qual a população está tentando, de todas as maneiras possíveis, ajudar as pessoas e animais que foram afetadas pela tragédia. Com isso, além das vaquinhas e da ajuda presencial de diversas pessoas físicas e também celebridades, muitas empresas estão se movimentando para dar suporte ao momento delicado.

    Nesse cenário, muitas companhias que pertencem aos bilionários brasileiros estão anunciando ações para amenizar os problemas no Rio Grande do Sul. Veja quais:

    O Banco Safra, de propriedade da bilionária Vicky Safra e família, anunciou na terça-feira (7) que fez uma doação de R$ 1 milhão para a região. O valor é destinado às ações capitaneadas pelo Movimento União BR e pela Fundação Gaúcha dos Bancos Sociais.

    O Itaú, das famílias Setubal, Villella e Moreira Salles, também divulgou um pacote de ajuda de R$ 10 milhões, com foco na União BR e também no fundo social criado pela Azul Linhas Aéreas. O banco também está estimulando a doação entre os funcionários, e disse que vai equiparar cada real doado com outro real, de acordo com o CEO Milton Maluhy Filho.

    A Itaúsa, que também pertence aos bilionários, doou R$ 6 milhões às vítimas da tragédia. Desse montante, R$ 4 milhões serão direcionados as ações emergenciais e de legado do Movimento União BR. De acordo com a companhia, os R$ 2 milhões remanescentes serão investidos com foco na implementação de planos municipais de emergência climática que serão executados utilizando a metodologia desenvolvida pelo Instituto Votorantim em parceria com a CBA e Instituto Itaúsa, chamada Iniciativa Ação Climática.

    Além disso, a Febraban revelou que as instituições financeiras associadas a ela, que incluem Itaú, Bradesco, Santander, BTG Pactual, Banco do Brasil e Caixa, estão comprometidas em adotar medidas para garantir a continuidade dos serviços à sociedade, assim como a segurança e o bem-estar dos seus clientes e colaboradores.

    A Ambev, de Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira, da 3G Capital, anunciou que vai parar a produção de cerveja em Viamão, na grande Porto Alegre, para envasar água potável e doar à população do Rio Grande do Sul.

    De acordo com o comunicado, serão produzidas por dia cerca de 850 mil latas de água de 473 ml. “Como uma empresa brasileira, estamos e estaremos sempre ao lado dos brasileiros em todas as situações” diz Jean Jereissati, presidente da companhia. Nos últimos dias, a empresa já doou mais de 560 mil litros de água para o estado.

    A Eurofarma, do bilionário Maurizio Billi, firmou uma parceria com a empresa Voar para fazer a logística de envio de doações, que incluem milhões de unidades de bolsas de soro fisiológico destinadas a hospitais do estado. Além disso, a companhia também afirmou que enviou centenas de milhares de caixas de medicamentos em parceria com a Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul.

    A Havan, do bilionário Luciano Hang, também já doou mais de R$ 1,5 milhão, de acordo com o comunicado feito nas redes sociais da varejista. Além disso, a empresa afirmou que antecipará o 13º salário e o programa de participação de resultados aos seus funcionários afetados pelas enchentes.

    A JBS também decidiu dar apoio aos seus funcionários e revelou que vai antecipar o pagamento do 13º salário para mais de 15 mil funcionários na região, injetando cerca de R$ 30 milhões na economia local. Além disso, a empresa informou pelas redes sociais a doação de 40 toneladas de alimentos, 40 mil kits de limpeza e 2,6 mil cestas básicas.

    A Porto, do bilionário Jayme Garfinkel, mobilizou sua frota de veículos para operações especiais. Composta por uma moto aquática, dois Marruás, um Unimog, uma picape lança e um guincho pesado, além de 10 socorristas especializados em situações graves de alagamentos.

    A XP, de Guilherme Benchimol, fez um aporte na União BR e se uniu com a instituição para pedir doações em prol dos atingidos pelos temporais.

    A ArcelorMittal Brasil, companhia do bilionário indiano Lakshmi Mittal, anunciou parceria com a Central Única das Favelas (CUFA) e vai doar R$ 1 milhão em itens de primeira necessidade para atender às emergências de parceiros, comunidades e famílias atingidas no estado.

    Já o Grupo Carrefour Brasil doará 500 mil quilos, que equivalem a 50 mil cestas básicas, em alimentos, água e produtos de higiene para as vítimas das enchentes. Os itens doados serão destinados prioritariamente à Defesa Civil do Estado do Rio Grande do Sul, à organização não-governamental Ação da Cidadania e a outras organizações sociais locais do estado. A logística envolve o envio terrestre e aéreo, equivalente a 18 carretas.

    Além disso, desde o dia 7 de maio, o grupo congelou os preços de todos os seus produtos em todas as lojas no Rio Grande do Sul. A medida é válida, até 31 de maio, para todas as bandeiras da companhia no estado: Carrefour, Atacadão, Sam’s Club e Nacional.

     

     

    Fonte: Forbes

    LEAVE A REPLY

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    Deve ler

    spot_img