Conjunto da obra

0
12

O conjunto da obra define êxitos e fracassos na política. A vitória do governo Rollemberg (PSB) na eleição das comissões da Câmara Legislativa é a prova disso. Em primeiro lugar, o Executivo fez o básico ao empregar toda a força da máquina pública para construir uma robusta aliança circunstancial. Prometeu cargos e espaços em troca de votos. Mas foi além do feijão com arroz. Em primeiro lugar, construiu e cultivou uma margem de segurança na disputa. Fez o dever de casa até o final da votação. Consolidou uma coalizão de 14 deputados distritais e trabalhou para ter ainda mais até o fim da eleição.

Só acaba com o apito do juiz

A partir do esforço contínuo, o GDF conseguiu até mesmo superar o PMDB no embate pela Corregedoria da Casa, dando uma caneta estratégica da Casa para um parlamentar do PSB, diretamente ligado ao governador. Não abriu brecha nem para um prêmio de consolação para os adversários. Outro fator crucial, o governo teve o cuidado de ler e interpretar o cenário sem soberba, de forma respeitosa, até a votação. A oposição e os independentes perderam o timing da eleição e por isso tentaram adiar a eleição para depois do Carnaval para virar o jogo. A demora tornaria mais onerosa a aliança pontual. O Buriti viu o movimento e, preventivamente, pressionou a Casa pela votação “extraordinária” ontem.

 

 

 

 

Fonte: Do Alto da Torre