Conselho de Ministros Evangélicos divulga nota de repúdio às falas levianas de Lula sobre Israel

Nesta segunda-feira (19), o  Conselho Interdenominacional de Ministros Evangélicos do Brasil (CIMEB) emitiu uma nota de repúdio às recentes declarações do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que comparou o massacre dos judeus durante o Holocausto a conflitos em todo o mundo. A declaração, considerada desrespeitosa e inadequada, gerou indignação entre os líderes religiosos.

Reunindo mais de 10 mil pastores de diferentes denominações evangélicas, o CIMEB expressou sua indignação diante das palavras do Presidente, ressaltando que nunca na história das nações democráticas se testemunhou um líder político fazer uma comparação tão infeliz e insensível.

“É lamentável que as palavras do presidente Lula envergonhem o Brasil diante das nações do mundo”, afirmam os líderes do CIMEB, ressaltando que a declaração do petista não reflete a opinião da maioria dos brasileiros.

A manifestação do CIMEB reflete não apenas o descontentamento com a declaração de Lula, mas também a defesa dos valores de respeito, sensibilidade e paz, fundamentais para o convívio harmonioso entre as nações e os povos.

 

NOTA DE REPÚDIO

O Conselho Interdenominacional de Ministros Evangélicos do Brasil, que congrega mais de 10 mil pastores de diversas denominações evangélicas, vem a público repudiar a fala inconsequente do Presidente Lula.  Nunca na historia das nações democráticas vimos um presidente ou primeiro-ministro declarar tal absurdo, no comparar o massacre cruel de mais de 6 milhões de judeus inocentes com qualquer guerra no mundo.

O que não podemos perder em mente é que Israel é uma nação soberana, que tem direito a autodefesa, segundo as leis internacionais, por ter sido atacada em seu território pelo grupo de terroristas Hamas.  Não somos a favor de guerra nem da morte de nenhum inocente, mas até agora não há uma prova de que Israel cometeu genocídio.

Lamentamos profundamente que a palavra do Presidente Lula envergonhe o Brasil diante das nações do mundo. A declaração de Lula não representa a opinião da maioria do povo brasileiro.

Rio de Janeiro, 19 de Fevereiro de 2024

Silas Malafaia
Cesar Augusto
Estevam Hernandes
Rene Terra Nova
Aber Huber
Victor Hugo
Galdino Junior
Luiz Herminio

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui