DEPUTADO CABO PATRÍCIO DENUNCIA "QUADRILHA INSTALADA NA SECRETARIA DE SAÚDE DO DF "

0
5
O governador Arruda contratou, por dois anos e sem licitação, uma instituição que está sendo investigada por suspeita de desvio de dinheiro público em Salvador (BA). A Controladoria-Geral da União (CGU) apontou o envolvimento da entidade Real Sociedade Espanhola de Beneficência no desvio de cerca de 80 milhões de reais de verbas federais, estaduais e municipais. O valor do contrato firmado entre o GDF e a Real Sociedade é de 222 milhões de reais. Agora, o Conselho Nacional de Saúde solicitou ao Ministério da Saúde o cancelamento dos repasses do SUS ao GDF até o final das investigações sobre o contrato de terceirização do Hospital de Santa Maria. Há suspeita de que o contrato firmado entre o GDF e a Real Sociedade Espanhola teria sido feito para formar caixa 2 de campanha de grupos políticos. E tem mais: auditoria do SUS revelou que recursos repassados pelo governo federal eram usados em aplicações financeiras no banco de Brasília (BRB), estatal e controlado por Arruda. Segundo o Departamento Nacional de Auditoria do SUS (Denasus), o GDF recebeu, em 2008, 378 milhões de reais da União para investir em programas de Saúde. Porém, o governo Arruda aplicou 238 milhões de reais em Certificados de Depósitos Bancários (CDBs) no BRB. O ex-bancário e atual secretário de Saúde, Augusto Carvalho, não deu explicações sobre estas denúncias. A revista CartaCapital fez uma reportagem de três páginas sobre estas denúncias. O deputado distrital Cabo Patrício vê “atuação de quadrilha instalada na secretaria de Saúde”. Por outro lado, o governador Arruda conseguiu evitar a CPI da Saúde, com o apoio de 20 dos 24 deputados distritais na Câmara Legislativa do DF. Já o procurador-geral de Justiça, Leonardo Bandarra, prefere o silêncio. Como se vê, no governo de Arruda (DEM) não interessa investigar coisa alguma. E se o Tribunal de Contas determina a suspensão de algum contrato (como fez com a Real Espanhola), aí o governo atravessa a praça e busca no Tribunal de Justiça do DF a solução para continuar executando o que não deveria ser executado com quem está sendo intensamente investigado por irregularidades com dinheiro público. Arruda não quer nenhuma CPI da Saúde, mas não explica por que assinou contrato milionário com entidade suspeita, enquanto há uma reprovação de 80% do sistema de saúde local pela população, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Vox Populi. E também não diz se o dinheiro da Saúde continuará a ser aplicado em CDBs do Banco de Brasília. Além do deputado Cabo Patrício, existirão outros deputados com juízo suficiente para investigar tamanho escândalo? E por que não investigam o governo Arruda? Quem não deve não teme, nobres deputados…

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui