Deputado Pastor Daniel de Castro alega que ministro Flávio Dino cometeu prevaricação e omissão dolosa na última oitiva da CPI dos Atos Antidemocráticos

Na sessão final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Atos Antidemocráticos, o Deputado Pastor Daniel de Castro (PP) fez acusações contundentes contra Flávio Dino, apontando-o por prevaricação e omissão dolosa. Durante sua fala, ele enfatizou a necessidade de indiciar Dino por não mobilizar a Força Nacional de Segurança Pública para conter os ataques recentes.

A CPI, que chegou ao seu último dia nesta quinta-feira (16), recebeu o Coronel Reginaldo Leitão, ex-chefe do Centro de Inteligência da Polícia Militar do Distrito Federal. O coronel estava no comando durante a tentativa de invasão à sede da Polícia Federal em 12/12 e na manifestação nas sedes dos três poderes em 8/1.

O parlamentar, com uma narrativa detalhada, apontou para a responsabilidade do Ministro da Justiça Flávio Dino nos eventos, salientando sua ‘leniência e prevaricação’ pela falta de ação. “Flávio Dino prevaricou, se omitiu, omissão dolosa. Isso tem que estar no relatório, pois ele deveria ter acionado a Força Nacional”, declarou o deputado.

Reforçando a posição de seu grupo político, Deputado Pastor Daniel de Castro declarou: “A direita exige o devido processo legal, a ampla defesa, o contraditório. Não podemos generalizar e criminalizar. Nossa voz será ouvida nesta Casa, e não aceitaremos um relatório que omita os atos de prevaricação e leniência.”

O deputado Pastor Daniel de Castro, que se destacou na CPI, expressou confiança no trabalho dos parlamentares de direita, enfatizando sua busca pela ‘verdade real’ para a população do Distrito Federal e de todo o Brasil. A expectativa agora se volta para a leitura do relatório pelo relator.

A apresentação do relatório da CPI está programada para o dia (29) quarta-feira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui