DINHEIRO NA MEIA: JUIZ DECRETA A INDISPONIBILIDADE DOS BENS DE PRUDENTE

0
8

O juiz Álvaro Ciarlini, da 2ª Vara de Fazenda Pública do DF, acatou pedido do Ministério Público do Distrito Federal, e decretou a indisponibilidade dos bens do ex-presidente da Câmara Legislativa Leonardo Prudente.

O bloqueio é uma garantia para ressarcimento de dinheiro que Prudente supostamente deve aos cofres públicos e à população de Brasília.

Veja como os promotores do Núcleo de Combate às Organizações Criminosas (NCOC) calcularam a indenização cobrada de Prudente:

Danos morais à população:
Verba mensal de gabinete – R$ 3.904.080,00
Verba indenizatória – R$ 450.000,00
Total – R$ 4.354.080,00
 
Observação: Leva em conta que as despesas mensais deputados distritais totalizam R$ 108.852,00, sendo R$ 11.250,00 relativos à verba indenizatória e R$ 97.602,00 para contratação de servidores de gabinete.

cálculo considera que Leonardo Prudente negociou sua atuação política em troca de apoio a José Roberto Arruda durante pelo menos 40 meses, entre agosto de 2006, data da gravação em que aparece recebendo dinheiro de Durval Barbosa e guardando até nas meias, e novembro de 2009, quando ocorreu a Operação Caixa de Pandora e as denúncias vieram à tona.
 
 
Recebimento de mesada:
R$ 50 mil por mês
Total: R$ 2.000.000,00
 
Observação: Segundo depoimento de Durval Barbosa, Leonardo Prudente recebia R$ 50 mil por mês em troca de apoio a Arruda, sem contar os benefícios empresariais
 
Total geral: R$ 6.354.080,00

 Fonte: blog da ana maria campos/correio braziliense

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui