Distrital faz duras críticas a morte de paciente por falta de ambulância

0
9

O deputado distrital Chico Vigilante (PT), utilizou as redes sociais na manhã desta segunda-feira (17), para criticar o Sistema Público de Saúde no DF.

Para Vigilante, Brasília, que já foi exemplo de saúde pública para todo o Brasil, enfrenta hoje uma situação caótica. Com hospitais sucateados, aparelhos quebrados sem condição de atendimento à população.

De acordo com o Distrital, “o governador Rollemberg prometeu durante a campanha que iria recuperar a saúde no Distrito Federal, hoje, não olvida esforço algum para mudar essa situação”. O comando da Secretaria de Saúde trabalha em uma total inércia. “O Ministério Público, que era tão célere nas cobranças, não se apercebeu para o caos estabelecido”, disse o parlamentar.

Vigilante denunciou nesta segunda-feira (17), a situação caótica que a saúde pública do Distrito Federal atravessa sob a administração do Governo Rollemberg em que falta de tudo nas unidades de saúde da cidade.

“Infelizmente, mais uma vida é ceifada por conta do descaso do Governo do Distrito Federal com a saúde pública”, disse o deputado.

Na madrugada deste domingo (16), um homem de 53 anos morreu em decorrência de um AVC. Durante três dias ele esperou por uma ambulância com UTI para remoção para o Hospital de Base.

O servidor público Arnaldo Teixeira sofreu o AVC na quarta feira, estava internado no Hospital Regional do Gama e necessitava realizar uma tomografia intracraniana, mas, como no HRG não havia o aparelho, a solução foi transferi-lo para o Hospital de Base com urgência.

No entanto, a família relata que não havia ambulância com UTI disponível abastecida para realizar a remoção. O paciente esperou por quase três dias até que os familiares conseguissem juntar dinheiro para pagar por uma ambulância particular, mas já era tarde.

Segundo o parlamentar, é a segunda vez nesta semana em que uma pessoa morre esperando por remoção a outro hospital e não havia ambulância disponível devido à falta de combustível.

De acordo com Vigilante, “este cidadão tinha plano de saúde, mas teve que deixar a cobertura, pois não tinha como pagar”. Com o agravamento da crise, é bastante possível que muitas famílias deixem de pagar pelos caros planos de saúde e migrem para a rede de saúde pública sucateada, ressalta o Distrital.

O deputado destaca ainda que conhece a irmã do Arnaldo, a Jane. “Uma pessoa trabalhadora de uma família dedicada e que estão sofrendo bastante”, declarou o parlamentar.

Segundo palavras do distrital, “não medirei esforços para que esse crime não fique impune. Porque o que aconteceu hoje foi um crime praticado pelo Estado”, finalizou.

Fonte:  Agenda Capital

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui