Dona Cida: “Meu lema é servir”

2
0

Candidata a deputada federal, ela conta com o voto de opinião para se eleger

Alguns a chamam de “pastora Cida”. Mas ela prefere ser chama­da apenas de “Dona Cida”. A pre­sidente nacional do PROS-Mulher é uma pessoa de fé, e que tem na religião um farol que ilumina seus passos nesta vida. Mas está mui­to longe de qualquer fanatismo, e passa ao largo da intolerância.

Evangélica, ela se diz, na ver­dade, “missionária”. E para ela, o sentido da ação missionária é servir. “Aprendi com meu pai que para ser missionária é pre­ciso se doar, servir. Esta é a ver­dadeira palavra: servir”, diz ela.

Nascida na pequena Mambaí, na fronteira com a Bahia, Dona Cida diz que agora quer “servir a Goiás e ao Brasil, às lutas das mu­lheres, como deputada federal. O pai dela, o “seu Jorge”, foi prefei­to de Damianópolis, no nordeste goiano. Durante anos, Cida preferiu o missionarismo à política partidá­ria. Como missionária, ela já percor­reu o país inteiro pregando o evange­lho, vivendo junto às comunidades pobres, ajudando-as em suas lutas.

Expansiva, jovial, dona de um bom humor contagiante, Dona Cida é uma senhora de meia ida­de que assume com galhardia os cabelos brancos. Ela não os tinge, como fazem tantas mulheres até mais velhas do que ela. Como Salo­mão, tudo que ela pede a Deus é que lhe dê sabedoria, nunca se deixan­do seduzir pela vaidade, pois sabe que tudo debaixo do sol é vaidade.

Por isso ela passa por “um sofri­mento muito grande” sempre que volta a Damianópolis, onde passou uma infância feliz, mas onde seu ve­lho pai não existe mais a não ser na lembrança das pessoas do lugar, Ela o vê em cada canto, em cada esqui­na, em cada árvore. Servir o ser hu­mano como religiosa, servir ao seu povo como política, é a forma que ela encontrou para honrar a me­mória de seus pais. “Goiás é minha paixão, sinto muito orgulho do meu Estado e aqui, fiz muitas amizades. Por isso, todo o meu respeito e ad­miração por esse povo trabalhador que acredita na mudança e não tem medo do futuro”, afirma.

“Iniciei minha vida acadêmi­ca cursando magistério no Colé­gio Couto Magalhães, em Goiás, sempre incentivada pelo meu pai, Jorge Moreira dos Santos, e minha mãe, Alzira Neves dos Santos. Sou a quarta filha entre dez irmãos. Ain­da criança, fui a primeira da famí­lia a me tornar evangélica e como minha fé move montanhas, viajei o Brasil e o exterior como missioná­ria pregando a palavra de Deus”, diz.

Dona Cida cursou Gestão Pública na Universidade Estadual de Goiás e Estudos Sociais na Faculdade de Ma­rília-SP. Concluiu o Mestrado em Es­tudos Bíblicos e Doutorado em Teo­logia pela FEST. “E sempre com sede de conhecimento, hoje faço curso de Direito no Centro Universitário de Brasília (Ceub)”, informa.

“Também sou professora e teólo­ga, e tive uma rica jornada profissio­nal nas áreas educacional, de Gestão Pública e de ação política. Atualmen­te, sou presidente nacional do Pros Mulher – Partido Republicano da Or­dem Social – do qual sou uma das fundadoras”, acrescenta.

“Com uma trajetória de muito trabalho, sempre cuidei da minha maior herança: a minha família. Tenho três filhos: Euripedes Ju­nior, Fabrício George e Jeisy. Foi ao lado deles que assumi o de­safio de criar o Pros, partido idealizado pelo meu filho Eu­ripedes Junior – presidente nacional. Essa enorme con­quista foi um tesouro herda­do de meu pai, Jorge Morei­ra dos Santos. Vem dele essa vontade de servir ao pró­ximo. Meu pai foi prefeito da cidade de Damianópo­lis-GO por dois mandatos”, lembra a candidata.

“Tendo tido esse exemplo de pai e gestor, continuo obsti­nada em ajudar ainda mais a população de Goiás. Estarei  na Câmara dos Deputados para servir o nosso povo, honrando cada voto de confiança, eu sei que posso trabalhar mui­to mais em favor da nossa gente. Minha missão é para to­dos e será de todos os municípios goia­nos que vivem desamparados”.

 

Fonte: DM.COM.BR

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui