ELEIÇÕES 2010- CASO LINA: TUCANOS RECORREM À PROCURADORIA

Deu em O Globo

Caso Lina: tucanos recorrem à Procuradoria

Partido quer imagens que comprovariam reunião de Dilma com ex-secretária da Receita Federal

Flávio FreireJailton de Carvalho

O PSDB anunciou ontem que entrará com representação na Procuradoria-Geral da República pedindo abertura de investigação para tentar obter o material do circuito interno do Palácio do Planalto do qual constariam imagens de um encontro, supostamente ocorrido em novembro de 2008, entre a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira e a então ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, hoje candidata à Presidência.

O assunto foi trazido à tona na revista “Veja” desta semana, numa reportagem em que Demetrius Felinto, ex-funcionário de uma empresa que prestava serviços ao Palácio do Planalto, afirma que as imagens que provam a realização do encontro existem, armazenadas num computador em poder do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República.

Diante das novas informações, os tucanos decidiram tentar obter as imagens que podem mostrar que Dilma teria mentido quando disse que o encontro com Lina nunca existiu.

Nessa reunião, segundo a versão de Lina, Dilma teria pedido a ela para que interferisse numa investigação da Receita sobre a família Sarney. Dilma nega.

— Precisamos saber se as imagens existem ou se foram apagadas. Precisamos provar que marginais da política continuam operando no subterrâneo — disse o senador tucano Álvaro Dias, em São Paulo.

Demetrius, que hoje trabalha numa empresa prestadora de serviços ao Senado, já havia mandado e-mail a senadores, inclusive o próprio Álvaro Dias, em dezembro de 2009, quando relatou o caso.

Perguntado ontem por que o PSDB não entrou antes com ação, o senador disse que Demetrius havia recuado, num primeiro momento.

— Novos fatos ocorreram. Ele recuou no início do ano, e nós o respeitamos. Mas ele voltou recentemente e está trabalhando no Senado.

****************

Relatório de sindicância interna informa que um servidor da Receita Federal acessou, de forma ilegal, dados fiscais do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge, em outubro do ano passado.

A partir desta primeira conclusão, a Corregedoria Geral da Receita decidiu abrir um processo administrativo para aprofundar a investigação e tentar descobrir se foi o mesmo servidor quem vazou as informações.

Eduardo Jorge e outros tucanos suspeitam que os dados fiscais faziam parte de um dossiê montado por integrantes da pré-campanha da candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff.

— Diante dos indícios de irregularidades administrativas praticadas por um servidor, decidimos instaurar um processo administrativo disciplinar. O processo foi aberto à vista de indícios de um suposto acesso imotivado — disse ontem o corregedor da Receita, Antônio Carlos D’Avila Carvalho.

(…) O nome do servidor é mantido em sigilo pela Receita. A primeira etapa da investigação terminou no fim do mês passado.

Numa rápida consulta ao sistema de controle de acesso aos bancos da Receita, a comissão de sindicância identificou que um servidor vasculhou, sem amparo legal, a declaração de renda de Eduardo Jorge, em outubro de 2009.

A equipe de sindicância não teve maiores dificuldades na tarefa. Os nomes dos responsáveis pelos acessos, a localização dos terminais usados para a consulta e os horários dos acessos ficam registrados no sistema.

Agora, os investigadores terão a missão mais complicada: obter provas de que o servidor responsável pelo acesso imotivado também vazou a informação para fora dos quadros da Receita.

Leia mais em O Globo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui