“Eles não vão me intimidar com essa palhaçada”, diz Allan dos Santos sobre busca e apreensão

0
88

Alvo de uma operação de busca e apreensão determinada por Alexandre de Moraes, Allan dos Santos criticou o inquérito ilegal do STF e classificou a operação como uma tentativa de intimidação ao jornalismo.

Alvo de operação de busca e apreensão nessa quarta-feira (27), o jornalista Allan dos Santos concedeu uma entrevista na porta de sua casa logo após a saída dos agentes da Polícia Federal (PF). Allan acusou o Supremo Tribunal Federal (STF) de tentar intimidar a mídia alternativa e os apoiadores do presidente da República, Jair Bolsonaro, e denunciou uma suposta conversa entre os ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso para derrubar o presidente.

Segundo Allan, Moraes e Barroso planejam cassar a chapa de Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão, desrespeitando o voto popular. Essas denúncias e outras feitas anteriormente, segundo o jornalista, seriam os motivos para a tentativa de intimidação por parte do STF.

Questionado sobre a operação de busca e apreensão da PF, Allan respondeu: “Imagine se nós tivéssemos uma busca e apreensão na casa do [Guilherme] Boulos (…). Nunca o STF agiu dessa maneira e agora está aí querendo agir dessa maneira”. De acordo com o jornalista, o seu trabalho no canal Terça Livre foi prejudicado pela operação, já que equipamentos como notebooks e celulares usados para pautas e transmissões foram apreendidos.

Allan dos Santos questiona o inquérito ilegal do STF e afirma que seus advogados nunca tiveram acesso ao inquérito ou às acusações: “É inconstitucional você não ter acesso aos autos. Eu nunca soube o que é que o STF queria com esse inquérito”, afirmou. O jornalista também lembrou que já foi intimado duas vezes para prestar depoimento mas não compareceu: “Eu não fui, isso é inconstitucional, meus advogados nunca tiveram acesso aos autos”. Após criticar Moraes e comparar a operação de hoje aos métodos de intimidação de nazistas e comunistas, Allan disparou: “Não estamos vivendo numa democracia!”.

Mais tarde, em seu canal no Youtube, Allan continuou ao vivo por cerca de uma hora e afirmou que seu tratamento é pior que o de um criminoso: “Ninguém nunca entrou na casa de um membro do PCC para fazer uma investigação desse tipo”, afirmou. O mandado judicial de Alexandre de Moraes foi classificado como ridículo, por Allan, que afirmou que não vai se intimidar com as ações do STF: “Eles não vão me intimidar com essa palhaçada! É um absurdo! É inadmissível! (…) Eu quero dar minha cara a tapa!”.
Fonte: Brasil Sem Medo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui