MAIS
    HomeDistrito FederalEm abertura do ano letivo da Fábrica Social, Robério afirma que seguirá...

    Em abertura do ano letivo da Fábrica Social, Robério afirma que seguirá priorizando políticas voltadas à qualificação profissional

    Durante o evento, que marcou o começo da capacitação profissional para 600 alunos, ocorreu a entrega de 100 novas máquinas de costura, adquiridas com recursos de emendas parlamentares

    O líder do governo do Distrito Federal na Câmara Legislativa, deputado distrital Robério Negreiros (PSD), participou, na manhã desta quarta-feira (7), da abertura do ano letivo do projeto Fábrica Social, que contou com a aula inaugural do Curso de Corte e Costura Industrial. Durante o evento, que marcou o começo da capacitação profissional para 600 alunos, ocorreu a entrega de 100 novas máquinas de costura, adquiridas com recursos de emendas parlamentares.

    Na ocasião, também foram concedidos mil lençóis para as unidades hospitalares da Secretaria de Saúde e mil uniformes para os servidores de quatro administrações regionais: Taguatinga, Sol Nascente, Ceilândia e Samambaia, todos de autoria dos alunos da Fábrica Social do ano anterior. Para este ano, a expectativa é de que sejam confeccionados mais 60 mil lençóis, também para a Saúde, por meio de um termo de cooperação técnica.

    Ao elogiar o trabalho feito pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico Trabalho e Renda (Sedet), Robério disse que, para este ano, já destinou R$ 16 milhões em emendas para que a pasta possa dar continuidade a programas de capacitação e qualificação profissional. “Tenho muito orgulho de poder ajudar com esses projetos”, afirmou. “Não é à toa que o DF tem os maiores programas, inclusive sendo referência para outros estados”, completou o distrital.

    O evento contou também contou com a participação do governador Ibaneis Rocha, da vice-governadora Celina Leão e demais autoridades.

    Fábrica Social

    A Fábrica Social é um programa de capacitação profissional, cujo o público-alvo é formado por pessoas em situação de vulnerabilidade social com idade mínima de 16 anos, residentes do DF, cadastrados no Cadastro Único de Programas Sociais do governo federal (CadÚnico), renda familiar per capita de até R$ 200 e que não tenham participado de processos de capacitação e qualificação no programa. Pessoas com deficiência também estão aptas à seleção para o curso.

    O objetivo é possibilitar o aprendizado e a experiência de uma unidade têxtil completa, por meio de dez módulos que abrangem a prática de malharia inicial, bordado, costura de bolsas e acessórios e serigrafia. Os alunos recebem uniforme, lanche diário no período do curso, auxílio financeiro de R$ 304 e vale-transporte. Além disso, produzem materiais para os órgãos do GDF, como roupas de capa dos hospitais da rede pública e uniformes de servidores das administrações regionais.

    LEAVE A REPLY

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    Deve ler

    spot_img