Emergência do Hospital de Taguatinga atendeu 180 mil pacientes até agosto

0
68

Ortopedia lidera o número de consultas

 

hrtenfermeiros

A Emergência do Hospital Regional de Taguatinga (HRT) realizou cerca de 180 mil atendimentos de janeiro a agosto deste ano. A ortopedia foi a especialidade médica mais procurada pelos pacientes, com 45.483 procedimentos. Em segundo lugar, ficou a clínica médica com 39.387 atendimentos, seguida da pediatria, que atendeu 34.991 pacientes.

O HRT, como segundo maior hospital da Rede de Saúde do Distrito Federal, oferece à população diversos serviços emergenciais, como cardiologia, cirurgia geral, ginecologia/obstetrícia, oftalmologia, odontologia e otorrinolaringologia. Juntas, essas especialidades clínicas realizaram mais de 57 mil atendimentos.
“Acredito que o número de pessoas que procura a emergência do HRT assusta. É muita gente para ser atendida em um único hospital. O serviço da ortopedia é essencial e o HRT é uma referência no Distrito Federal”, declara a paciente Evelyn da Silva, 48 anos, moradora de Ceilândia.

Para o chefe da Unidade de Traumatologia e ortopedia do HRT, Edmon de Melo Araújo, o recorde de atendimento no setor é fruto da cooperação da equipe de saúde. “Acreditamos que esse quantitativo de pacientes atendidos se deve à dinâmica do trabalho realizado pelos profissionais. Temos uma equipe de 40 ortopedistas, que se revezam, e que são auxiliados por residentes e técnicos de gesso. Todos os servidores trabalham em prol de um atendimento de qualidade”.

“Meu filho torceu o braço e vim direto para o HRT. Em menos de uma hora fui atendido. Para mim o atendimento foi muito bom e rápido”, disse Orlando José Rocha, morador de Ceilândia e pai do paciente Mateus.

Como funciona o atendimento na Emergência

O atendimento realizado na emergência do HRT obedece ao Protocolo de Manchester de Classificação de Risco, preconizado pelo Ministério da Saúde, que tem como objetivo acolher o paciente, avaliar a sua necessidade clínica e atendê-lo de acordo com a urgência do caso, classificando-o por cores: vermelha (emergência); laranja (muito urgente); amarela (urgente); verde (pouco urgente) e azul (não urgente).

“Antes de procurar a emergência, o paciente deverá avaliar a sua necessidade. Os casos urgências são aqueles que aconteceram há pouco tempo, como quedas, cortes, desmaios e sangramentos. Quando o paciente sente uma dor há mais de três meses, por exemplo, ele deverá procurar um centro de saúde”, disse a chefe de Equipe da Emergência do HRT, Márcia de Araújo.

O coordenador-geral de Saúde de Taguatinga, Otávio Augusto de Siqueira reitera a importância do paciente buscar o atendimento emergencial, quando o caso realmente é urgente. “Temos uma equipe de profissionais especializada para atender no pronto socorro. Contudo, é preciso que o paciente procure os Centros de Saúde, quando o atendimento não é emergencial. Desta forma, se evite filas e poderemos atender o doente que está grave com mais rapidez”.

Para facilitar o atendimento ao cidadão, diminuindo o tempo de espera nas emergências dos hospitais, a Secretaria de Saúde do DF criou um site que orienta como localizar a unidade de saúde mais próxima da residência, especialidade clínica e o funcionamento da Classificação de Risco. Para conhecer essa plataforma é só acessar o endereço eletrônico: saudeparatodosdf.com.br

Fonte: Secretaria de Estado de Saúde

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui