Empresários contarão com assessoria gratuita na elaboração de projetos para o FCO

0
9

E

Os representantes de federações, sindicatos, entidades empresariais e do GDF reuniram-se nesta terça-feira (28) para discutir formas de obter  melhor aproveitamento dos recursos do Fundo Constitucional do Centro Oeste para o Distrito Federal, durante a Conferência “FCO para Todos”, realizada no Centro de Convenções.

 

Durante os debates, representantes do setor produtivo apresentaram  os principais problemas que dificultam o acesso dos empresários aos recursos públicos para financiamento de atividades de produção. Os entraves mais citados foram  a desinformação sobre as linhas de financiamento e a dificuldade na elaboração dos projetos de solicitação de crédito.

 

A partir dessa constatação, segundo  o secretário de Desenvolvimento Econômico, deputado Cristiano Araújo, caberá à pasta buscar meios de sanar a desinformação existente no meio produtivo e buscar soluções para impedir que falhas nos processos burocráticos impeçam o acesso dos produtores ao FCO.

 

Para tanto, deverá ser contratado um serviço técnico de assessoria para auxiliar os micro e pequenos empresários e empreendedores individuais na elaboração dos projetos e pedidos de financiamento. A intenção é, segundo o Cristiano,  firmar uma parceria com o Sebrae para oferecer esse atendimento gratuitamente. “O Sebrae tem condições de nos prestar esse serviço que vai contribuir para o desenvolvimento de nossa região”, disse.

 

FUNDO – Historicamente o DF tem utilizado um volume pequeno do fundo, cerca de apenas 45% do volume reservado para investimento no DF. Em 2012 os números apontam para uma execução recorde do FCO. Foram destinados ao DF cerca de R$ 945 milhões e até novembro foi autorizado o uso de R$ 693 milhões. Isto representa 88,4% dos recursos previstos para este ano. “O crescimento é reflexo dos esforços para trazer novos investimentos para o DF”, comemora o secretário. https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gif

O FCO é um dos principais instrumentos para o desenvolvimento da região Centro-Oeste. O fundo tem servido de fator impulsionador para os setores produtivos investirem em infraestrutura, comércio, serviços, agricultura e turismo.  Em 2012 foram destinados para o fundo R$ 5 bilhões de reais. Esse recurso é divido entre os quatro entes federativos que pertencem à Região (Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul), da seguinte forma: 19% para o DF, 23% para MS, 29% para GO e 29% para MT.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui