EMPRESÁRIOS PEDEM MAIS APOIO PARA CONSTRUÇÃO CIVIL

1
7
ELEIÇÕES 2010 – DISTRITO FEDERAL
Empresários pedem mais apoio para construção civil
Agnelo Queiroz, do PT, e Tadeu Filippelli, candidatos a governador  e vice, ouviram as reivindicações e problemas dos empresários Foto: Dênio Simões –  Agnelo Queiroz, do PT, e Tadeu Filippelli, candidatos a governador e vice, ouviram as reivindicações e problemas dos empresários

Um dia dedicado a ouvir as reivindicações do segmento da construção civil e da população de Samambaia. Essa foi a agenda de campanha dos candidatos ao governo do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT) e Tadeu Filippelli (PMDB). O primeiro compromisso foi um café da manhã com empresários da construção civil.
Agnelo e Filippelli estiveram acompanhados de lideranças partidárias, entre elas os candidatos ao Senado Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB) e à Câmara dos Deputados, Geraldo Magela (PT) e Luiz Pitiman (PMDB). O presidente do Sinduscon-DF, Elson Ribeiro e Póvoa, falou das dificuldades com a indefinição dos contratos em andamento, as licitações que foram realizadas, mas não contratadas, além da espera por licitações que já deveriam acontecer.

Póvoa lamentou que o governo de José Roberto Arruda (ex-DEM) tivesse sofrido “uma derrocada”, pois considera que vinha realizando uma boa gestão. “Nós temos aí 65 mil trabalhadores formais na construção civil do DF, sem contar com os informais. Nós temos responsabilidade com essas pessoas”, comentou o dirigente. Póvoa demonstrou estar preocupado com o desemprego, ainda este ano, por conta da desaceleração. O candidato a vice-governador, Tadeu Filippelli, lembrou sua experiência em gestão no DF, destacou a importância das entidades representativas e celebrou sua aliança.

“Essa união é real e demonstra, sobretudo, respeito pelo DF. Estamos deixando de lado a briga partidária para ter um compromisso com o resgate de Brasília”. Como empresário, Filippelli disse compreender a angústia do presidente do Sinduscon. “O empresário vive um momento de dificuldades. Ele investe, corre riscos. Por outro lado gera empregos, gera riquezas, paga impostos. Não é um mar de rosas. Nós temos nossas dificuldades”, comentou.Filippelli reconheceu que deverá haver, este ano, depressão no crescimento da indústria da construção civil “mesmo que se faça algo de imediato”.

Aproveitar o excelente momento econômico

O candidato a governador Agnelo Queiroz destacou que “o Brasil decolou e nós temos que embarcar rapidamente nesse foguete”, se referindo à política federal. Ele destacou que, no Distrito Federal, a responsabilidade é “gigantesca” e isso foi compreendido pelas forças políticas que formaram a coligação Um Novo Caminho. Para Agnelo, todos os brasileiros depositam nos políticos e moradores de Brasília a atribuição de cuidar da capital da pátria. “Isso não é pouco e não pode ser visto de uma forma imediatista, populista, para ganhar eleição, para destruir a cidade. Nós temos tudo para crescer e vamos crescer  com planejamento”, ressaltou, ao se comprometer com a melhoria do transporte e a estratégia de trabalhar linhas de desenvolvimento, de eixos econômicos, investimento nas cidades e de políticas para o Entorno.

Agnelo e Filippelli almoçaram no Restaurante Comunitário de Samambaia e participaram de entrevista na Rádio Comunitária Ativa FM da cidade. Ainda à tarde, eles caminharam pelas ruas de Samambaia e pelo comércio local. No final da tarde, se reuniram com lideranças comunitárias. Informações do Jornal Coletivo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui