Encontro no TCDF discute criação de Sistema Integrado de Gestão Pública

0
13

O Tribunal de Contas do Distrito Federal e a Controladoria Geral do DF reuniram, na manhã desta terça-feira, dia 24 de maio de 2016, representantes de diversos órgãos do Governo, além de auditores e representantes da Corte, para apresentar a proposta de criação de um sistema integrado de gestão pública. A estratégia é usar a tecnologia da informação para melhoria e aperfeiçoamento da gestão, agregando dados dos diversos órgãos para auxiliar na tomada de decisões.

O presidente do TCDF, Conselheiro Renato Rainha, enfatizou a importância desse tipo de estratégia, não só para facilitar o controle externo da Administração Pública, mas principalmente para o alcance de resultados para o cidadão. “Temos de acabar com a ideia de que há ilhas de excelência no serviço público. O conhecimento e os dados devem ser compartilhados para encontrar soluções, e não só para identificar problemas. O TCDF é parceiro nessa busca pelo que melhor atende o interesse público”, avalia.

O Conselheiro relatou a experiência da auditoria que vem sendo realizada pelo Tribunal sobre a classificação de risco dos pacientes nas emergências de hospitais públicos do Distrito Federal. “No último hospital que visitamos, entregamos à diretoria um relatório baseado em dados da própria Secretaria de Saúde, revelando uma série de problemas. Dias depois, nosso corpo técnico recebeu uma ligação de um representante da diretoria, perguntando como ele poderia fazer para também acessar aqueles dados, o que mostra que é preciso também capacitar os gestores para a utilização das informações”, disse.

Durante o evento, chamado de “Café com B.I.”, o Subcontrolador de Tecnologia e Informações Estratégicas da Controladoria Geral do DF, Duque Dantas, relembrou experiências como a criação do Centro Integrado de Comando e Controle para a Copa das Confederações, e também a utilização dessa estratégia de integração de sistemas na Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro. Ambos os eventos foram em 2013. “O papel da B.I. , que é como chamamos a Business Intelligence, é integrar pessoas e dados, tecnologia e informação, para melhorar a gestão”, explicou.

A equipe da CGDF mostrou aos participantes exemplos de integração de bancos de dados na área de Educação, com o cruzamento de informações e a geração de gráficos comparativos sobre número de alunos por região administrativa, entre outros exemplos. Para a secretária de Planejamento, Orçamento e Gestão do DF, Leany Lemos, a iniciativa do Sistema Integrado de Gestão Pública é de fundamental importância. “É uma ferramenta que atenderá não só o gestor, mas também os profissionais que estão na ponta e que alimentam os bancos de dados”, disse. A ideia é que o sistema fique pronto ainda em 2016.

 

 

 

Informações: TCDF

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui