ESCÂNDALO – OPOSIÇÃO COBRA EXPLICAÇÕES DE DILMA E LULA SOBRE DENÚNCIA DA REVISTA VEJA

0
10
ELEIÇÕES 2010
Oposição cobra explicações de Dilma e Lula sobre denúncia da revista Veja

A ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, divulgou neste sábado nota reagindo à reportagem da Revista Veja que acusa seu filho, Israel Guerra, de comandar um esquema de lobby para atrair empresários interessados em contratos com o governo Federal. Segundo a reportagem, o esquema contaria com a participação de Erenice e cobraria dos empresários uma taxa de propina de 6%. A revista cita o caso de um contrato feito entre o empresário Fabio Baracat, da empresa ViaNet Express, e os Correios, com a intermediação de Israel Guerra. A oposição cobra uma explicação da ex-ministra e candidata à Presidência Dilma Rousseff (PT) e do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em Goiânia, onde realizou um comício neste sábado, o candidato do PSDB à Presidência, José Serra, considerou “gravíssima” a denúncia da revista. Para Serra, a Casa Civil é um “foco de corrupção”.

– Eu achei uma denúncia gravíssima, junto com as prisões no Amapá, (cujos presos) que é uma coligação apoiada por Dilma. O Brasil tem que mudar e a hora é agora, nas eleições – disse Serra, emendando: – Não á possível que alguns partidos, alguns candidatos achem natural esse processo de corrupcao no país. Não é natural não. E diga-se de passagem, a Casa Civil tem sido um foco de problemas no Brasil. Eu lembro que no caso do mensalão, na época do Zé Dirceu, a Casa Civil foi o centro do problema. Depois esteve lá a Dilma e deixou lá o seu braco direito, uma pessoa muito próxima. Hoje, de novo o centro da maracutaia é a Casa Civil.

– Eu achei uma denúncia gravíssima, junto com as prisões no Amapá, (cujos presos) que é uma coligação apoiada por Dilma. O Brasil tem que mudar e a hora é agora, nas eleições – disse Serra, emendando: – Não é possível que algum partido ache natural essa corrupção. E não é. A Casa Civil é um foco de corrupção.

Lembrando que foi na gestão do ex-ministro José Dirceu na Casa Civil que surgiu o escândalo do Mensalão, Serra afirmou:

– E agora volta a ser um centro de maracutaia. Tem que ter punição.

O tucano não citou o presidente Lula nem no discurso nem na entrevista. No comício, no Comitê Central do PSDB em Goiânia, com políticos locais, Serra fez novas críticas à sua principal adversária, repetindo a expressão “envelope fechado”, para se referir ao pouco conhecimento que o povo tem sobre a candidata do PT.

Na nota, Erenice classifica a reportagem de “caluniosa” e afirma que colocará à disposição das autoridades seus dados bancários e fiscais: “Como servidora pública sinto-me na obrigação, desde já, de colocar meus sigilos fiscal, bancário e telefônico, bem como o de TODOS os integrantes de minha família, à disposição das autoridades competentes para eventuais apurações que julgarem necessárias para o esclarecimento dos fatos”, diz.

Sem negar que tenha recebido o empresário Baracat em casa, como relata a Veja – a ministra da Casa Civil, que sucedeu a presidenciável Dilma Rousseff no cargo -, diz ainda na nota que a reportagem tem motivação político-eleitoral e critica a revista: “Lamento, por fim, que o processo eleitoral, no qual a citada revista está envolvida da forma mais virulenta e menos ética possível, propicie esse tipo de comportamento e a utilização de expediente como esse, em que se publica ataque à honra alheia travestido de material jornalístico sem que se veicule a resposta dos ofendidos”.

Para o líder do DEM na Câmara, Paulo Bornhausen, é mais um caso de irregularidades dentro do governo Lula e dentro da Casa Civil, responsável pelo gerenciamento de todo o governo.

– Onde começou o mensalão, agora está implantado o “assaltão”. José Dirceu, Erenice e Dilma são uma coisa só. Ou o presidente Lula demite ela, ou assina embaixo que ela fez e admite que sabia. A Erenice é da cozinha do Lula, é da Casa Civil. Erenice é 100% Dilma e Dilma é 100% Erenice – afirmou.

O deputado disse ainda que Dilma deveria vir a público dar explicações, já que Erenice foi sua suborinada e sua sucessora no cargo de ministra, indicada diretamente por ela.

– A Dilma está se escondendo naquele hospital – disse Bornhausen, lembrando que, desde o nascimento do neto Gabriel, Dilma está em Porto Alegre e até convocou coletiva no hospital Moinhos de Vento, onde o neto nasceu. Para a oposição, Lula utilizou o pronunciamento no dia Sete de Setembro, quando ocupou o horário eleitoral da campanha de Dilma para acusar o candidato do PSDB, José Serra, de “partir para a baixaria”, como um escudo para proteger Dilma das denúncias antigas sobre a quebra de sigilo fiscal e de novas denúncias.
A Erenice é a Dilma, diz Indio da Costa

O vice na chapa do candidato do PSDB à Presidência, deputado Indio da Costa (DEM-RJ), disse que a democracia está ameaçada diante de mais uma denúncia de irregularidades envolvendo integrantes do governo Lula.

– A Erenice trabalha para quem? A Erenice não existe, Erenice é a Dilma. Queremos que a instituições políticas funcionem, que o Ministério Público e a Polícia Federal hajam. A democracia está ameaçada com esse nível de vale-tudo, de tanto faz: é quebra de sigilo, distribuição de recursos agora…Tem muita gente votando na Dilma como um envelope fechado – disse Indio da Costa, para quem o eleitor deveria procurar conhecer mais a candidata do PT.

O vice de Serra criticou ainda a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na campanha de Dilma. Para ele, Lula misturou as atribuições de chefe de Estado e de cabo eleitoral, ao gravar pronunciamento e ao fazer até comício, em Ribeirão Preto, sem a presença de Dilma.

– Não existe essa coisa de, depois do horário, sai o presidente e entra o cabo eleitoral. Ele confundiu o papel dele de presidente – disse Indio da Costa.  Informações de O Globo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui