Ex-senador petista Cristovam Buarque afirma que Ministério Público persegue o PT

0
120

No Twitter, o ex-senador Cristovam Buarque postou a seguinte pérola: “Começam tentando fechar o PT, depois outros e outros. Até ficarem apenas um e seus satélites. Neste momento, é obrigação de todo democrata lutar para impedir o ministério público de cometer o crime de perseguir legalmente ao PT.”

É incrível como o ex-senador eleito pelo PT, que virou ministro da Educação no governo Lula (e que foi demitido por telefone), ainda acredita na inocência petista. PT, MDB e o PP foram protagonistas do maior assalto aos cofres da Petrobras durante os 14 anos de petismo no Planalto.

Eleito pelo PT em 2010 ao Senado, o agora ex-senador Cristovam não quer que o Ministério Público acabe com o PT.

Ao atacar o Ministério Público, dizendo que ele “persegue”o PT, é um atestado de imbecilidade que chega a ser cômico, uma vez que o ex-senador é professor,  foi reitor da UNB (aliás, foi na gestão dele que a UNB teve greves intermináveis…) e governou o DF entre 1994 e 1998 numa gestão marcada por escândalos e gestão pífia (tanto que não conseguiu se reeleger.

Cristovam foi eleito senador graças ao PT, que injetou dinheiro em sua campanha. É preciso lembrar ao ex-senador que no primeiro ano em que a Justiça Eleitoral exigiu prestação de contas dos candidatos a cargo público, as empreiteiras com atuação no DF, hoje no olho do furacão da Operação Lava Jato, já figuravam como doadoras. Era 1994, Cristovam Buarque e Valmir Campelo disputavam o governo do Distrito Federal. Juntos, eles receberam R$ 1,5 milhão em doações da Norberto Odebrecht e da Via Engenharia, construtoras denunciadas no Ministério Público Federal por corrupção e pagamento de propina em troca de vantagens na construção de obras públicas.

Da esquerda para a direita: Cristovam Buarque, Chico Vigilante, Agnelo Queiroz, Tadeu Filippelli e Rodrigo Rollemberg durante a campanha eleitoral de 2010. Eles venceram as eleições naquele ano.

Candidato a senador pelo PT em 2010, Cristovam Buarque recebeu oficialmente R$2.073.312,00 e foi eleito juntamente com Rodrigo Rollemberg (PSB), ambos com apoio da esquerda.

Cristovam só se tornou senador graças ao dinheiro do PT e por essa razão é que o agora ex-senador é contra o MP que quer a extinção do PT por roubalheira explícita na Petrobras. Pelo visto, Cristovam gosta de defender companheiros e partidos corruptos. Lamentável a postura do ex-senador que durante seu longo mandato, adorava viajar pelo mundo ao invés de cuidar de assuntos do Brasil, principalmente o combate à corrupção.

Ainda bem que Cristovam foi finalmente catapultado do Senado em 2018. Em seu lugar, o eleitor brasiliense elegeu Izalci Lucas (PSDB).

Cristovam Buarque
@Sen_Cristovam
Começam tentando fechar o PT, depois outros e outros. Até ficarem apenas um e seus satélites. Neste momento, é obrigação de todo democrata lutar para impedir o ministério público de cometer o crime de perseguir legalmente ao PT.
9:54 PM · 4 de abr de 2020Twitter for iPhone
3,9 mil

Curtidas

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui