MAIS
    HomeBrasilEXCLUSIVO!!! Delator acusa governador da Paraíba de destruir provas da Operação Calvário

    EXCLUSIVO!!! Delator acusa governador da Paraíba de destruir provas da Operação Calvário

    Joao Azevedo (PSB), governador da Paraíba

    Trecho da delação premiada feita pelo dentista Waldson de Souza, ex-secretário de Saúde da Paraíba, revela que o governador João Azevedo atuou para destruir provas e camuflar as ações de corrupção denunciadas pelo Ministério Público na gestão do ex-governador Ricardo Coutinho, de quem o atual chefe do Executivo era o principal auxiliar, com organizações sociais prestadoras de serviços na área de saúde.

    A Operação Calvário investiga um esquema criminoso que teria se instalado durante a gestão do ex-governador Ricardo Coutinho como governador da Paraíba. São investigados indícios de desvios de dinheiro em várias áreas do Estado, como Saúde, Educação e Turismo.

    João Azevedo foi secretário de Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia no governo de Ricardo Coutinho, que o escolheu como sucessor na eleição de 2018.

    Segundo os termos da delação, Azevedo “acompanhou todo o processo de intervenção na saúde proposto pelo então Governador Ricardo Coutinho, bem como atuava junto a empreiteiras e construtoras no intuito de angariar recursos financeiros para as campanhas eleitorais do PSB – de RICARDO COUTINHO, de aliados e de sua própria -, e, quando escolhido por RICARDO COUTINHO como seu herdeiro político, se comprometeu a dar continuidade ao funcionamento da OrCrim, bem como manter e fortalecer o propinoduto criado por RICARDO COUTINHO, tendo sido um dos principais beneficiários diretos dos recursos desviados na gestão”.

    Relata o delator que João Azevedo “possuía o contato de todas as empreiteiras, empresas, construtoras, discutindo de forma minuciosa com Ricardo sobre o andamento de obras, mas também sobre os prováveis parceiros para contribuição em campanhas, fato que explicito em relato específico em reunião que realizei com João Azevedo e Livânia Farias no escritório de Livânia”.

    A acusação mais forte de Waldson Souza ao Ministério Público diz que, já no cargo de governador, Azevedo “atuou de forma efetiva para obstruir a justiça, orientando seus comparsas após a deflagração da Operação Calvário na Paraíba, no sentido de destruir provas, esconder conexões e camuflar a OrCrim, recebendo informações das operações e nos passava cada detalhe de como ocorreria, inclusive, quando fora cumprido o mandado de busca e apreensão da residência de Gilberto Carneiro, já sabíamos de tudo como iria ocorrer, pois fomos convocados (Eu, Cláudia Veras, Buba Germano e Geraldo Medeiros) para uma reunião na granja no dia 29 de abril de 2019, na oportunidade foi chamando para entrar no escritório um a um para passar as instruções e o que ocorreria, lembro bem, pois, apesar de nos informar da operação citada, ainda me exonerou e deixou claro que estava seguindo orientação do MP – não citou nome —, mas informou que ocorreria uma operação do GAECO no dia seguinte ou após ao feriado do dia 01 de Maio, deixando todos cientes que seria apenas na casa de Gilberto e que eu poderia ficar tranquilo naquele momento e que ninguém iria ser preso, o que de fato ocorreu no dia seguinte a nossa conversa, dia 30 de abril de 2019”.

    O povo paraibano precisa tirar esse governador de lá.

    Confira:

    P-201903667165-64-volume-Documentos-

    LEAVE A REPLY

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    Deve ler

    spot_img