Fantástico: vídeo de Cachoeira causa pânico no Congresso

    0
    16

     

     Blog do Camarotti

    A divulgação de apenas um vídeo do bicheiro Carlinhos Cachoeira ontem à noite gerou um clima de pânico entre parlamentares de vários partidos no Congresso Nacional. A constatação é de que Cachoeira gravou e armazenou muitos vídeos de suas negociações com políticos. E que o surgimento de novas imagens pode complicar a situação de muitos caciques das principais legendas.

    Parlamentares ouvidos hoje pelo Blog ressaltam que a metodologia de Cachoeira sempre foi de gravar as conversas com políticos e autoridades. Os vídeos eram usados depois para pressionar e chantagear os próprios políticos. Mesma estratégia usada por Durval Barbosa, no escândalo que ficou conhecido como “Mensalão do DEM”, e que derrubou o ex-governador José Roberto Arruda (DF). …

    A dúvida entre os parlamentares é saber o que está com a Polícia Federal e quais vídeos ainda estão em poder do grupo de Cachoeira. Os petistas estão especialmente preocupados porque temem que o vazamento desse lote de vídeos possa atingir políticos filiados ao partido.

    Ontem à noite, reportagem do Fantástico da TV Globo mostrou um vídeo encontrado pela Polícia Federal no dia da Operação Monte Carlo, na casa do ex-cunhado de Carlinhos Cachoeira, em que o prefeito de Palmas, Raul Filho (PT) negocia financiamento de campanha com o grupo de Cachoeira. O vídeo é de 2004 e foi gravado durante a campanha que elegeu, pela primeira vez, o prefeito da capital do Tocantins.

    Essa não é a primeira vez que políticos e autoridades são flagrados em negociações com Cachoeira. Recentemente, também foi divulgado um vídeo em que o deputado Rubens Otoni (PT-GO) acertava contribuição de campanha com o contraventor.

    O primeiro escândalo do governo Lula surgiu de um vídeo em que o ex-assessor parlamentar do Palácio do Planalto, Waldomiro Diniz, aparecia pedindo propina ao bicheiro quando presidia a Loterj. Outra autoridade atingida por Cachoeira foi o subprocurador da República, José Roberto Santoro, que deixou o cargo depois que foi divulgado um áudio de um depoimento prestado pelo contraventor em seu gabinete.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui