FARRA NA BRASILIATUR: R$800 MIL PAGOS À ARTISTA DESCONHECIDO AINDA SEM EXPLICAÇÃO

0
2

O deputado distrital Chico Leite (PT) encaminhou no dia 20 de março deste ano, representação ao procurador-geral de Justiça do Distrito Federal, Leonardo Bandarra, e ao Ministério Público de Contas, um pedido para que fossem abertas investigações com o objetivo de analisar o preço do patrocínio pago pela Empresa Brasiliense de Turismo (Brasiliatur) ao desconhecido cantor e compositor baiano Edu Casanova, para divulgação do aniversário de Brasília. O governo do Distrito Federal fechou um contrato, sem licitação, de R$ 800 mil para o artista se apresentar como garoto-propaganda no carnaval de Salvador no bloco Tiete VIPs e compor um hino para as comemorações do cinquentenário da capital. Chamou a atenção do deputado uma consulta ao sistema de acompanhamento financeiro do GDF. Casanova foi contratado por valor bem menor (R$ 60 mil) no réveillon, pela secretaria de Cultura, para vir a Brasília se apresentar na festa da Esplanada dos Ministérios (alguém viu o cantor?). De acordo com dados do próprio governo, o cachê foi bem menor do que o das outras atrações: Chitãozinho e Xororó (R$ 300 mil), NXZero (R$ 220 mil) e Exaltasamba (R$ 220 mil). “Essa enorme discrepância entre os valores pagos para o mesmo artista para atuar em eventos distintos é, no mínimo, curiosa e passível de apuração rigorosa desse Ministério Público”, avalia o distrital da oposição. O então presidente da Brasiliatur, Rôney Nemer, disse ao jornal Correio Braziliente que exigiu dos técnicos da empresa uma análise rigorosa do trabalho realizado e não tem qualquer receio de apresentar ao Ministério Público a prestação de contas do patrocínio concedido a Edu Casanova. Na sequência, Rôney pediu demissão do cargo. A Promotoria de Defesa do Patrimônio Público do Distrito Federal tem analisado em procedimento específico as contratações feitas pela Brasiliatur desde que a empresa foi criada, em 2007, tendo na época como presidente o empresário César Gonçalves. Ele deixou o cargo em meio a denúncias de gastos elevados com shows. Na representação encaminhada ao Ministério Público, Chico Leite afirma que no ano passado a Brasiliatur aplicou R$ 9,3 milhões em eventos, sem que houvesse licitação. Pelo visto, a farra continuará em 2010!!!
Vamos investigar, minha gente, vamos investigar!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui