GDF não apresenta proposta e policiais civis vão entregar cargos

0
36
Brasília(DF), 09/06/2016 - Quadrilha que roubava carros - DOE - Policia Civil - Departamento de Operações Especias - Agente - Arma ColeteFoto: Michael Melo/Metrópoles

CB.Poder

 

Isa Stacciarini

A  reunião do Executivo com policiais e delegados na manhã desta segunda-feira (15/8) terminou sem o Governo do Distrito Federal (GDF) apresentar nenhuma proposta de reajuste salarial aos servidores. O encontro aconteceu com o chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio; a secretaria de Planejamento, Leany Lemos; e o secretário de Fazenda, João Fleury. O GDF condicionou o aumento salarial dos servidores a outras fontes de arrecadação, como a aprovação de projetos pela Câmara Legislativa do DF e repasses do governo federal. No entanto, para o Sindicato dos Policiais Civis e o Sindicato dos Delegados da Polícia Civil, a fonte de despesa única que garante o reajuste salarial com Polícia Federal é o Fundo Constitucional, que terá ampliação de R$ 800 milhões a partir de 2017.

 

Como forma de protesto, policiais e delegados prometem entregar cargos de chefia na tarde de terça-feira (16/8). O ato começará às 14h em frente à sede da Polícia Civil. Segundo o Sinpol, cerca de 1 mil servidores vão colocar as funções à disposição do governo. O Sindepo ressaltou que aproximadamente 100 delegados farão o mesmo, assim como diretores de departamentos. Segundo o diretor do Sindepo, Rafael Sampaio, inclusive o diretor geral da Polícia Civil, Eric Seba, se dispôs sair do cargo.

 

O chefe da Casa Civil expôs as dificuldades do Buriti.  “O governador esteve reunido ao longo desta semana com a equipe econômica e a Procuradoria para continuar caminhando com as negociações. A situação hoje não nos permite aumento de despesa sem que haja novas receitas. Sem nenhuma concessão de reajuste nós ainda estamos lutando e muito para fechar o ano. Ainda precisamos arrumar recursos na ordem de R$ 1 bilhão. Isso sem nenhuma concessão de reajuste. Logo, para qualquer concessão de reajuste,  a gente precisa conseguir novas receitas. Nesse sentido,  o governador esteve com o presidente Michel Temer para abrir novas frentes de recursos e vamos tentar prospectar em outros locais, junto à Câmara Legislativa. O governo também tem feito esforços enormes para buscar novas fontes de receita que possam dar vazão a estes pleitos”,  argumentou Sérgio Sampaio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui