GDF vai apurar denúncia de que local de ação anti-Aedes foi ‘montado’

0
9

Borracheiro disse que pediram a ele para deixar pneus em frente de oficina.
Presidente do Banco Central e vice-governador do DF posaram com pneus.

Raquel Morais*Do G1 DF

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, participa de ação do Dia Nacional de Mobilização para o Combate ao Aedes Aegypti, na sede da Administração Regional de Brazlândia (DF), na manhã deste sábado (13). O mosquito é o transmissor da dengue, chi (Foto: André Dusek/Estadão Conteúdo)O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, participa de ação do Dia Nacional de Mobilização para o Combate ao Aedes Aegypti, na sede da Administração Regional de Brazlândia (DF), na manhã deste sábado (13). O mosquito é o transmissor da dengue, chi (Foto: André Dusek/Estadão Conteúdo)

O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, determinou nesta sexta-feira (19) a apuração da denúncia de que o local em Brazlândia onde o governo fez uma ação de combate ao mosquito Aedes aegypti no último sábado foi “preparado”. Dono de uma borracharia na região, Elder Dias acusa o governo de “montar” um cenário que aparentaria acúmulo de água em pneus.

O caso foi revelado pelo jornal “Folha de S.Paulo” na edição desta sexta-feira. A mobilização de combate ao mosquito transmissor da dengue, chikungunya, zika e febre amarela teve a participação do vice-governador, Renato Santana, e do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini.

O borracheiro disse que estuda entrar com ação na Justiça por causa das chacotas e prejuízos financeiros que vem sofrendo: dos 12 clientes que tinha agendados nos últimos dias, apenas 1 compareceu à oficina.

Dias conta que não sabia da mobilização e que, minutos antes do evento, um grupo o orientou a deixar os pneus na porta da borracharia, porque uma equipe os recolheria. Ele teria então buscado alguns itens nos fundos da oficina, que funciona em um espaço de 40 m².

Pouco depois, o presidente do Banco Central, o vice-governador do DF e deputados apareceran e posaram para fotógrafos segurando os pneus e depois os jogando em uma caçamba. Militares do Exército iluminaram com lanternas o restante, em busca de larvas do mosquito Aedes aegypti.

Borracharia em Brazlândia, no Distrito Federal, onde trabalha homem que acusa governo de 'montar' cenário em ação anti-Aedes (Foto: Raquel Morais/G1)Borracharia em Brazlândia, no Distrito Federal, onde trabalha homem que acusa governo de ‘montar’ cenário em ação anti-Aedes (Foto: Raquel Morais/G1)

O homem diz ter recebido “lição de moral” por algo que não fez – manter depósitos de larvas mosquito – e ainda ter virado alvo de bullying. Ele conta que esteve no banco essa semana e ouviu de conhecidos que era “responsável” por focos do inseto.

O borracheiro combinou um horário por entrevista com G1 ao telefone, mas depois não atendeu mais as ligações. A família diz estar tendo problemas com vizinhos e com o governo por causa da situação. À TV Globo, a mulher dele diz estar tentando descobrir quem foi a pessoa que deu a orientação sobre os pneus.

Brazlândia é a região administrativa com o maior número de registros de dengue – 488 até esta semana. O número corresponde a 25,5% dos 1.912 casos confirmados da doença. Além disso, é 3.653,8% maior do que o do mesmo período no ano passado, quando havia 13 ocorrências.

(Colaborou Alexandre Bastos, do G1 DF)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui