GOVERNO EXPULSA SERVIDORES

0
17
Deu em O Globo

Corrupção: governo expulsa 2.802 servidores

 

Ministério da Previdência foi o que teve mais demissões entre 2003 e 2010

Evandro Éboli

Relatório da Controladoria Geral da União (CGU) contabiliza 2.802 expulsões de funcionários públicos federais de seus órgãos, registradas entre 2003 e outubro de 2010, por recebimento de propina, improbidade administrativa e uso indevido do cargo, entre outras acusações.

A expulsão é uma das punições previstas na administração pública e aplicada contra servidores envolvidos em corrupção. É um processo mais ágil que o do Judiciário, onde raramente um funcionário é condenado à prisão.

Os casos de corrupção respondem por 60% das motivações das expulsões. A principal causa, que atinge 34,6% dos que foram colocados para fora do serviço público, é o “valimento indevido do cargo”.

Os acusados por “improbidade administrativa” correspodem a 19,24% dos exonerados e os responsabilizados por “recebimento de propina” são 6%.

Entre os 2.802 expulsos do serviço público, 9,5% abandonaram o cargo, 5,7% por desídia (preguiça, indolência, desleixo). Do total, 24,7% tiveram como motivo outros fundamentos.

Se considerado o universo do funcionalismo, que conta com 522.752 servidores na ativa, os 2.802 expulsos representam 0,54%. As expulsões englobam demissões (2.402), destituições (223) e cassações (177).

O ministro da CGU, Jorge Hage, afirmou que, felizmente, a grande maioria é honesta.

— Ainda bem que é assim. O servidor corrupto não é regra, é exceção. Tem que ser pequeno mesmo — disse ele.

Leia mais em O Globo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui