Habeas Corpus sequer foi reconhecido e conservadores acampados em Brasília temem novas intimidações do Governo do DF

0
65

 

No último domingo, a advogada Adriana Mangabeira Wanderley,   ingressou com um Habeas Corpus ( 693743/DF) junto ao Tribunal Superior de Justiça (STJ) em favor dos manifestantes conservadores que ocupam o estacionamento 3 no Parque da Cidade.

Entretanto, segundo fontes, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) foi agraciado por uma manobra jurídica do presidente do STJ, Humberto Martins, e o HC foi parar nas mãos do desembargador convocado do TJDFT para assumir provisoriamente uma vaga no STJ , Jesuíno Rissato,  para ser o relator.

Ao final do prazo de 48 horas,  o desembargador que está ministro no STJ, simplesmente não reconheceu o documento.

Em 4/8, a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça – STJ aprovou a convocação do desembargador do TJDFT Jesuíno Aparecido Rissato para substituir o ministro Felix Fischer, daquele Tribunal Superior, que está de licença médica até o dia 29/10/2021. O magistrado  atua na 5ª Turma e na 3ª Seção do STJ.

Adriana e os manifestantes que estão acampados em Brasília ficaram perplexos com a falta de respeito do governador do DF pelo povo que têm o direito legítimo de manifestação.  Eles foram obrigados a deixar a Esplanada dos Ministérios, apesar dos conservadores definitivamente não serem baderneiros nem violentos, e estão acampados no Parque da Cidade.

Resta saber o que o presidente Jair Bolsonaro acha dessa suposta manobra do presidente do STJ, Humberto Martins (que sonha com uma vaga no STF) para colocar nas mãos de um ministro do DF para tratar do assunto. No mínimo o desembargador-ministro deveria se julgar impedido.

O fato é que Humberto Martins e Ibaneis Rocha, que se dizem patriotas, não compareceram à solenidade oficial na manhã do dia 7 de setembro para a celebração da Independência do Brasil. Também não apareceram o presidente da Câmara, Arthur Lira, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco e nem o presidente do STF, Luiz Fux, numa prova cabal de que definitivamente não são patriotas.

Os verdadeiros patriotas (milhões deles) foram às ruas pedir democracia, liberdade de expressão, a soltura de cidadãos presos por opinião e o respeito à Constituição Federal.

E agora, os patriotas que estão acampados em Brasília para defender o país estão a mercê de novamente serem intimidados pelas atitudes de um governador que pensa ser o dono da cidade.

Aos poucos, atitudes judiciais sem fundamento vão retirando direitos constitucionais dos brasileiros. Num passado recente, grupos de manifestantes chegaram a ficar meses acampados na Esplanada dos Ministérios sem serem importunados por governos esquerdistas.

“A implacável perseguição aos brasileiros conservadores que são apoiadores do presidente Jair  Bolsonaro é a prova cabal de que os verdadeiros atos antidemocráticos são exercidos às claras por quem deveria zelar pelos direitos constitucionais que estão muito bem definidos na CF. É preciso aplicar a lei e não interpretá-la a bel prazer ou para favorecer políticos amigos”, afirma Adriana Mangabeira, que continuará lutando pelos patriotas conservadores acampados na cidade.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui