Informações Financeiras das empresas do IBrX mostram impactos da pandemia e medo de calote

0
28
Ibracon – Instituto dos Auditores Independentes do Brasil analisou os Informações Trimestrais (ITR) das empresas listadas no índice IBrX 50 da B3: 73% tiveram impactos da pandemia em seu resultado e mais da metade procurou alternativas para manter a liquidez

 

O Ibracon – Instituto dos Auditores Independentes do Brasil realizou mais um levantamento do Índice IBrX 50, avaliando as informações trimestrais (ITR) emitidas pelas empresas listadas na B3. Análise foi feita com base nos ITRs do segundo trimestre, fechados em 30 de junho. De acordo com o levantamento, das 48 companhias do índice, cerca de 73% declararam que tiveram impactos financeiros.

“No primeiro levantamento que fizemos, ainda não havia muita clareza dos impactos da pandemia nas informações financeiras que seriam emitidas. A orientação dos reguladores nacionais e internacionais era para que as empresas incluíssem essas informações nas ITRs, mas observamos em nosso estudo que elas foram apresentadas de forma genérica. Agora, nessa segunda avaliação, lendo as notas explicativas sobre a Covid-19, temos uma melhor noção de como as companhias foram impactadas”, explica Francisco Sant’Anna, presidente do Ibracon.

Além dos impactos financeiros, das 48 empresas listadas, 23 também declararam que tiveram impairment, que é quando há deterioração de ativos, das quais 38% afirmam ter reconhecido impairment de ativos financeiros, ou seja, o valor que a companhia tem para receber de terceiros, mas que acredita que não receberá.

“A presença do impairment nas informações trimestrais pode indicar que as companhias estão sentindo ou esperando problemas com a economia do País”, destaca Sant’Anna. “As companhias sinalizam dificuldades no momento em que começam a registrar deterioração de seus ativos, o que as obriga a procurar outras formas de manter a liquidez e as operações”, esclarece.

Adriana Caetano, gerente técnica do Ibracon, comenta que essa preocupação com a liquidez também ficou evidente no levantamento. Das 48 companhias listadas no Índice IBrX 50 da B3, mais da metade (52%) declararam que captaram empréstimos e emitiram debentures, além de renegociar pagamentos e dívidas.

As ITRs também trouxeram comentários sobre como as organizações estão cuidando dos seus colaboradores, impactos da adoção do expediente prático da norma de arrendamentos (a IFRS 16, que trata sobre contratos de locações em geral) e assuntos relativos a derivativos, valor justo de instrumentos financeiros, perda cambial, continuidade, covenants, hedge, despesa com sanitização/segurança e doações, realização dos impostos diferidos e postergação do pagamento de impostos e de dividendos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui