Inscrição de filmes para o Troféu Câmara Legislativa vai até o dia 24

0
9


Filmes serão exibidos durante o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

O Troféu Câmara Legislativa do Distrito Federal, concedido anualmente aos melhores filmes brasilienses durante o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, está com inscrições abertas até o dia 24 de agosto.

Este ano, a 18ª edição do prêmio distribuirá um total de R$ 200 mil entre 14 categorias. Ao contrário das edições anteriores, não basta se inscrever no Festival para, automaticamente, concorrer ao Troféu Câmara Legislativa. De acordo com o regulamento, as inscrições podem ser feitas via Correios ou, pessoalmente, na Câmara Legislativa.

Podem participar, exclusivamente, produções do Distrito Federal. Os filmes não precisam ser inéditos, mas, obrigatoriamente, devem ter sido concluídos a partir de 1º de agosto de 2012. Uma comissão composta por cinco profissionais com notória especialização na área de cinema irá selecionar as produções que serão exibidas na Mostra Brasília durante o 46º Festival de Brasília, em setembro próximo.

Os selecionados comporão uma programação de até 600 minutos e a programação será distribuída ao longo de várias sessões, sempre no período da tarde, no Cine Brasília. Os filmes escolhidos para concorrer ao Troféu Câmara Legislativa serão anunciados até o dia 4 de setembro, e os vencedores serão conhecidos durante a cerimônia de encerramento do Festival, no dia 24 de setembro.

Os premiados serão escolhidos por um júri oficial formado por três integrantes. Eles indicarão o melhor longa-metragem, que receberá R$ 80 mil, e o melhor curta-metragem (R$ 30 mil), além dos vencedores das seguintes categorias técnicas (todas com prêmios de R$ 6 mil): direção; ator; atriz; roteiro; fotografia; montagem; direção de arte; edição de som; captação de som direto e trilha sonora.

O público que comparecer às sessões no Cine Brasília também participa. Haverá prêmios para o melhor longa-metragem (R$ 20 mil) e melhor curta-metragem (R$ 10 mil) escolhidos pelo júri popular.

Incentivo – Criado pelos deputados distritais em 1996, o Troféu Câmara Legislativa do Distrito Federal tem o objetivo de reconhecer e incentivar a produção cinematográfica brasiliense, que sempre esteve entre a mais importante do País. “Com o incentivo do Legislativo do Distrito Federal, vimos a produção crescer não apenas em quantidade mas, principalmente, em qualidade”, atesta o presidente da CLDF, deputado Wasny de Roure.

Em sua primeira edição, seis produções concorreram ao Troféu Câmara Legislativa. Entre os vencedores estava o curta “Feliz Aniversário, Urbana”, da diretora Betse de Paula, que nesta sexta-feira (9) estreia mais um longa-metragem no circuito nacional: “Vendo ou Alugo”.

Ao longo das edições, além do crescente número de inscritos, outros importantes diretores brasilienses foram revelados, como René Sampaio – vencedor no ano 2000 com o curta  “Sinistro” –, que está em cartaz nas telas do País com “Faroeste Caboclo”. E José Eduardo Belmonte, um dos diretores mais vezes premiado com o Troféu Câmara Legislativa, que atualmente conclui o longa “Alemão”, contando a história da invasão do Morro do Alemão, no Rio de Janeiro, por policiais federais, previsto para estrear este ano.

Também receberam o prêmio cineastas reconhecidos nacional e internacionalmente, como Vladimir Carvalho, Manfredo Caldas e João Batista de Andrade.

Em 2012, o número de filmes inscritos foi recorde: 94 filmes da cidade participaram da seleção que escolheu 18 produções (sendo dois longas-metragens). E os vencedores do Troféu Câmara Legislativa do DF foram:

– Parece que existo, de Mario Salimon – longa-metragem / júri oficial; e Cláudio Macdowell – trilha sonora

– Sob o Signo da Poesia, de Neto Borges – longa-metragem / júri popular

– Meu Amigo Nietzsche, de Fáuston da Silva – curta-metragem – júri oficial e júri popular; melhor direção; e melhor roteiro (com Tatianne da Silva)

– Sagrado Coração, Bruno Torres – ator

– A Caroneira, Gleide Firmino – atriz; e  Andrey Hermuche – direção de arte

– Vida Kalunga, Vagner Jabour – fotografia; e  Dirceu Lustosa – edição de som

– A Jangada de Raiz, Edson Fogaça  – montagem

– Zé do Pedal, Jorge Pennington – captação de som direto

Marco Túlio Alencar – Coordenadoria de Comunicação Social
Fonte: CLDF

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui