Joe não terá apoio para fazer andar as representações contra investigados na Drácon

0
24

Enquanto isso… Na sala de Justiça

Por Ana Maria Campos-Eixo capital/Correio Braziliense –

Vai andar

O presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle (PDT), disse a interlocutores que vai dar andamento à representação da ONG Adote um Distrital contra a deputada Sandra Faraj (SD). Ela foi acusada por servidores de desviar recursos da verba indenizatória.

 

 

Sem apoio

No caso envolvendo a deputada Sandra Faraj (SD), Joe Valle pode conseguir apoio dos membros da Mesa Diretora da Câmara, com exceção da própria distrital. Mas, nas representações da Drácon, Joe não terá apoio da maioria para fazer andar as representações por quebra de decoro parlamentar.

 

 

Telefone sem fio

As escutas ambientais da Operação Drácon despertam muita curiosidade no meio político. Não faltam rumores sobre o que pode sair daqueles diálogos nos gabinetes. Há muita gente com receio de ter sido citado em alguma conversa comprometedora.

 

 

Enquanto isso… Na sala de Justiça

Se o Conselho Especial do Tribunal de Justiça do DF for ágil no processamento da denúncia da Operação Drácon, o foro especial deixará de ser um escudo de proteção contra os deputados investigados. O caso passará apenas por um grau de jurisdição e, em caso de condenação, chegará ao ponto de execução da pena de forma mais rápida para os distritais do que para os demais denunciados que serão julgados pela 8ª Vara Criminal, com possibilidade de recurso ao Tribunal de Justiça do DF. A celeridade favorece também os inocentes, que poderão se livrar mais rapidamente da sombra de uma acusação por corrupção.

 

Noveleiros

As escutas no gabinete do deputado Júlio César (PRB) mostram pouca atividade nos dias subsequentes à Operação Drácon. Além das orações e cultos, poucos servidores marcaram presença no local após o escândalo. As gravações também foram comprometidas por um hábito que parece frequente entre os funcionários: assistir televisão durante o expediente. O som alto de telenovelas globais e de programas vespertinos atrapalhou a captação de conversas pelo equipamento instalado pela Polícia Civil do DF e pelo Ministério Público.

 

Sandro fora de foco

Nos áudios das escutas ambientais, são frequentes as menções a Sandro Vieira, ex-braço direito da deputada Celina Leão (PPS). Em uma conversa entre o deputado Cristiano Araújo (PSD) e servidores de seu gabinete, um interlocutor defende uma saída de cena. “Sandro deveria sair do foco. A Celina deveria combinar com ele. Quanto mais sair do foco, melhor”, diz uma voz masculina.

 

Clonagem de celular de Rollemberg revela vulnerabilidade da telefonia

 

O episódio da clonagem do WhatsApp do celular de Rodrigo Rollemberg (PSB) mostra como qualquer cidadão está vulnerável à ação de hackers. Enquanto policiais em investigações tentam, sem sucesso, quebrar legalmente o sigilo de mensagens usadas por suspeitos para combinar crimes, um sujeito qualquer consegue os dados facilmente de forma clandestina. Entra numa loja de operadora de telefonia num shopping, apresenta um número de telefone e sai de lá com um chip novo para acessar o aplicativo de comunicação mais famoso do mundo.

 

Extorsão e nomeações

Foi assim que Jefferson Rodrigues Filho clonou o celular de Rollemberg, segundo relato da sentença que o condenou por interceptação ilegal de comunicação, e conseguiu invadir a privacidade do chefe do Executivo. Rollemberg diz que nunca viu Jefferson na vida. No depoimento à deputada Celina Leão, gravado pela escuta ambiental da Operação Drácon, Jefferson confirmou o que disse à Justiça. Com o número do WhatsApp de Rollemberg, ele enviou mensagens para secretários, passando-se pelo governador, e conseguiu a nomeação dele e da mulher em cargos de confiança na Fundação de Apoio à Pesquisa.

Comparti