JUIZ DO TO CENSURA ‘ESTADO’ EM CASO DE CORRUPÇÃO QUE CITA GOVERNADOR

0
7

Decisão proíbe divulgação de qualquer informação sobre investigação que cita governador como integrante de organização criminosa

Fausto Macedo e Bruno Tavares, de O Estado de S.Paulo

O desembargador Liberato Póvoa, do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO), decretou censura ao jornal O Estado de S. Paulo e a outros 83 veículos de imprensa, proibindo-os liminarmente de divulgar qualquer informação acerca de investigação do Ministério Público de São Paulo que cita o governador Carlos Gaguim (PMDB) como integrante de organização criminosa para fraudes em licitações.

A decisão, de 9 páginas, foi tomada sexta-feira, 24, e acolhe pedido em ação de investigação judicial eleitoral da coligação Força do Povo, formada por 11 partidos, inclusive o PT, que apoia Gaguim. Na campanha pela reeleição, Gaguim tem recebido no palanque a companhia do presidente Lula e da ex-ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff.

O desembargador arbitrou “para o caso de descumprimento desta decisão”, multa diária no valor de R$ 10 mil. Ele veta, ainda, publicação de dados sobre o lobista Maurício Manduca. Aliado e amigo do governador, Manduca está preso há 10 dias. A censura atinge 8 jornais, 11 emissoras de TV, 5 sites, 40 rádios comunitárias e 20 comerciais.

Leia mais em Juiz do TO censura ‘Estado’ em caso de corrupção que cita governador

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui