Lira foi rápido para confirmar prisão de Silveira mas age com letargia quanto a Brazão

Dois pesos e duas medidas: Por quê o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL) agiu rapidamente para confirmar a prisão de Daniel Silveira e age com tanta “cautela” com um dos mandantes da morte de Marielle?

Como Chiquinho Brazão é deputado federal, a Câmara precisa referendar a prisão dele por maioria dos votos em votação aberta. De acordo com a Constituição, parlamentares só podem ser presos em flagrante por crime inafiançável (mas vergonhosamente a maioria dos deputados votaram pela manutenção da prisão do colega Daniel Silveira, preso pelo crime de opinião).

AMIGA DE LIRA TRAIU BOLSONARO AO VOTAR PELA MANUTENÇÃO DA PRISÃO DE SILVEIRA

Segundo fontes, esse seria um dos principais motivos pelos quais Bolsonaro descartou apoiar Celina Leão ( candidata de Lira) para disputar o Governo do Distrito Federal em 2026. Ao votar favorável à manutenção da prisão, a ex-parlamentar traiu Bolsonaro, que havia dado indulto à Silveira, conforme direito assegurado pela Constituição Federal.

No dia 19 de fevereiro de 2023, a Câmara dos Deputados decidiu pela manutenção da prisão do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), preso em “flagrante delito” três dias antes por fazer supostas ameaças ao Estado Democrático de Direito, segundo decisão do ministro Alexandre de Moraes.

Correligionária e amiga, Celina Leão comemorou muito a reeleição de Arthur Lira na presidência da Câmara em fevereiro de 2021 (apoiado inclusive pelo então presidente Jair Bolsonaro). Tempos depois Bolsonaro foi traído pelo Progressistas.

Foram 364 votos a favor, 130 contra e 3 abstenções. Então deputada federal, Celina Leão (PP-DF) votou a favor da manutenção da prisão de Silveira. Ela atuou fortemente para a reeleição de Lira na presidência da Câmara.

Em Brasília, nos corredores do PL, a pergunta constantemente feita é: por quê ajudar o Progressistas (PP) que virou as costas para um dos principais defensores do ex-presidente?

Em maio de 2023, os ministros do Supremo Tribunal Federal, André Mendonça e Kassio Nunes Marques, votaram para manter a validade do indulto concedido pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) ao então deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ). Mas os demais ministros votaram pela derrubada do perdão concedido por Bolsonaro a Silveira.

Resta saber agora o real motivo que está levando Lira a demorar tanto para confirmar a prisão do deputado federal Chiquinho Brazão, apontado pela PF como um dos mandantes da morte de Marielle.

PL APOIA IZALCI

E quanto à Celina Leão, o PL fechou acordo com o senador Izalci Lucas, que foi recebido pelo partido e pelo casal Bolsonaro com grande festa nesta semana. Izalci retornou ao partido (antes era chamado PR) por onde foi eleito três vezes. Com essa extraordinária  jogada política, o sonho de Celina de ter apoio do casal para se tornar governadora do DF foi ladeira abaixo.

Na política, não há espaço para traição. Basta ver o que aconteceu com os ex-deputados Luis Miranda, Joice Hasselmann e Alexandre Frota. Foram muito bem votados em 2018 por se aproximarem de Bolsonaro e quatro anos depois foram expurgados das urnas após virarem as costas para o maior líder político do Brasil na atualidade.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui