Luana evita falar sobre a prisão do marido, acusado de assassinato, e ainda foi contra o concurso da AL-TO

0
262

 

O edital do concurso público para o preenchimento de vagas na Assembleia Legislativa de Tocantins, foi publicado em 19 de outubro de 2016 pela Fundação de Apoio a Pesquisa, Ensino e Assistência (Funrio). O concurso previa 91 vagas para contratação imediata e outras 74 para o cadastro reserva, em cargos de nível médio e superior. Os salários iam de R$ 5 mil a R$ 25 mil.

Luana Ribeiro é filha do senador João Ribeiro (in memoriam). Ela foi eleita com 20.906 votos pelo PR para o terceiro mandato como deputada estadual. Na Assembleia Legislativa de Tocantins, ocupa a vice-presidência.

Segundo informações, Luana teve grande influência para que o concurso fosse anulado pelo plenário da AL-TO. Tal fato deverá  ser investigado pelos cinco deputados que votaram contra a anulação do concurso que mobilizou milhares de interessados de todo o país.

Em sua página na internet, Luana fala dos pais, filhos mas  omite o marido,  o empresário Frederico Gayer Machado de Araújo (de quem estaria separada no papel após a condenação,  mas que ainda vive conjugalmente) , condenado  em 2014, a 12 anos e seis meses de reclusão, em regime inicial fechado, por homicídio qualificado cometido por motivo fútil. À época do crime, ele tinha 22 anos e era policial nomeado pelo governo de Goiás sem ser concursado.
Frederico foi condenado pela morte de Herbert Resende, em abril de 1997. O crime aconteceu no boate Draft, no setor Oeste, na capital goiana, e teria sido motivado por um desentendimento em relação a troca de fichas na casa noturna. Segundo o Ministério Público Estadual (MPE) de Goiás, o empresário decidiu atirar contra Resende mesmo depois que o problema havia sido resolvido. A vítima foi atingida na barriga e morreu 24 dias depois do fato, no dia 29 de abril de 1997, por choque séptico.

Frederico Gayer  está preso na cadeia de Bernardo Sayão. Ele se apresentou espontaneamente no dia 24 de novembro de 2016 para o cumprimento da sentença. A deputada evita falar no assunto, assim como evita falar sobre a anulação do concurso.

 

 

 

 

Fonte: Donny Silva