LUIZ ESTEVÃO SERÁ CONVOCADO

8
13

DISTRITO FEDERAL
Luiz Estevão será convocado

Camila Costa, jornal Alô Brasília

A CPI do Pró-DF listou os próximos nomes a serem convocados para prestarem esclarecimentos à comissão. Ao todo, nove pessoas, entre elas o ex-senador Luiz Estevão, devem começar a ser ouvidas já na próxima segunda-feira (30). A convocação foi  feita tarde de ontem (23), durante a primeira oitiva da CPI. O ex-senador foi citado pelo ex-secretário de Desenvolvimento Econômico do DF, José Moacir de Sousa Vieira, como um dos beneficiados irregularmente pelo Programa. O subsecretário de Desenvolvimento Econômico, Laerte de Oliveira Santos, também foi ouvido. Vilmar Lacerda, secretário de assuntos parlamentares do GDF, e o secretário de Transparência, Carlos Higino, acompanharam os depoimentos.

O ex-secretário foi convocado na qualidade de técnico e não de testemunha ou investigado, para explicar e confirmar as declarações dadas quando se afastou do cargo. Moacir deixou a pasta alegando ter encontrado diversas irregularidades e que estaria, com isso, recebendo ameaças de morte. Na oitiva, Moacir respondeu perguntas feitas pelos deputados e relatou como foi sua breve passagem pela secretaria – três meses. Segundo ele, faltam profissionais qualificados e a secretaria está contaminada por laranjas. “A maioria dos cargos é de livre provimento, funcionários sem vínculo com o governo que emitem pareceres de processos com valores altíssimos.”

Para exemplificar a declaração, Moacir citou o processo do ex-senador Luiz Estevão, que entrou com pedido de lote na secretaria, no último governo. A empresa Santa Fé Construções e Incorporações LTDA está no nome da esposa de Estevão, Fernanda Meirelles Estevão de Oliveira Resende, sócia de Cleuci Meirelles Estevão de Oliveira. As duas também foram convocadas a prestarem esclarecimentos à CPI.

“Esse é um exemplo de laranja. São deputados, ex-governadores, ex-vices, que usam nomes de parentes. Os números confirmam a máfia dos terrenos”, observou. Os dados levantados pela secretaria apontam que de 194 processos analisados, 181 foram considerados irregulares. No depoimento, Moacir também ressaltou a importância de incluir nas investigações a Terracap. “Ela é um elo com a secretaria na concessão dos terrenos. Houve favorecimentos.”

Logo após o ex-secretário, o subsecretário de Desenvolvimento Econômico, Laerte Santos, que foi convocado para, entre outras coisas, confirmar a declaração feita a uma revista de que “os projetos não seguiram os tramites legais”. Negou a afirmação. “A revista fez um corte no que eu disse e colocou o que eu disse ter ouvido de outras pessoas sobre o programa”, explicou. Santos também apontou um grupo de empresas no ramo de materiais de construção, que já estariam, inclusive, na Secretaria da Transparência. São elas: Simex, Dura Mar, Mapa Atacadista e Belo Toque Materiais de construção. Outras seis também estariam listadas, mas não foram informadas pelo subsecretário.

Fonte: Carlos Honorato

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui